14 CIAED

Resumi por aqui o que assisti durante o 14 Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, realizado em Santos de 14 a 17 de Setembro de 2008, além de comentários sobre alguns trabalhos que acessei no CD distribuído durante o evento (ainda devo ampliar isso por aqui) e online. Em muitos casos, fiz apenas anotações soltas que podem parecer fragmentárias, mas que serão aperfeiçoadas sempre que eu voltar a esta página.

14/09/2008

No dia 14/09/2008 ocorreram os minicursos, dos quais infelizmente não pude participar.

À noite, na Abertura, show com o São Paulo Link Pipe Band, tendo o professor Litto como membro:

Um dos que falou na Abertura foi Carl Holmberg – Secretário Geral do ICDE:

Suely Maia, Secretária da SEDUC de Santos, passou um vídeo interessante sobre a cidade; Carlos Eduardo Bielchowsky, Secretário da SEED, também participou da abertura, assim como o professor Waldomiro Pelágio Diniz de Carvalho Loyolla, que apresentou a Universidade Virtual do Estado de São Paulo e recebeu uma homenagem. Por fim, um coquetel de confraternização.

15/09/2008

Subindo a escada rolante guiados por Marcelo Cabeda:

9h00 – 11h00 – Sessão Plenária – Presidência: Stavros Xanthopoylos- FGV (BR)

Anne F. Gaskell – Open University -” Evaluation of students and of courses at a distance. What works and what doesn’t…(and why)……what are the options?”
Evaluation significa coisas diferentes – avaliação, qualidade, acreditação etc. Gaskell falou das agências de acreditação e defendeu que a avaliação deve engrandecer o aluno.

Carlos Eduardo Bielchowsky – SEED/MEC – “A Educação a Distância no cenário atual Brasileiro”
Traçou um panorama da EaD, das políticas públicas e da UAB. A EaD pode atingir alunos de classes sociais mais baixas. A função da SEED seria supervisionar a qualidade, financiar, centralizar e avaliar.

Jeff Borden – eCollege – “What students need today”
Começou com um vídeo – som e imagem, alterando o tom sério da sessão (ele é um comediante). Estilo de aprendizagem – não existe o aluno padrão; existem os veteranos, os boomers, os gen, os millenials etc. A nova geração é multitarefas, interessa-se por mídias, multimodal etc. Os alunos precisam de variedade e criatividade. Falou também de games e mencionou o Discover Babylon. Destacou também a importância de histórias, em que você se coloca no lugar dos outros e se conecta, e dos epapers.

11:30 – 13:00 – Sessões Paralelas

TC C3A1 – 144 – Aprendizagem em Museus com uso de Tecnologias Digitais e Realidade Virtual
Vania Marins – CEDERJ
Cristina Haguenauer – Latec/UFRJ
Gerson Cunha – COPPE/UFRJ
Francisco Cordeiro Filho – Latec/UFRJ
Apresentou um projeto de pesquisa desenvolvido em parceria entre o Grupo de Realidade Virtual aplicada, do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia – LAMCE/COPPE/UFRJ, com o Grupo de Paleovertebrados do Museu Nacional – MN/UFRJ e o Laboratório de Pesquisa em Tecnologias da Informação e da Comunicação da Escola de Comunicação – LATEC/UFRJ, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, para desenvolver tecnologias e metodologias para promover a aprendizagem, a partir do acervo do Museu Nacional.
Interessante ambiente virtual, que mistura realidade virtual e games para aprendizagem continuada e informal, com quadros de Salvador Dali etc. Cf. Latec.

TC C3A1 – 149 – Laboratório Virtual para suporte ao ensino de Cálculo: Uma experiência no MOODLE
Terezinha Ione Martins Torres – Centro Metodista de Porto Alegre
Lucia Maria Martins Giraffa – Mestrado em Educação em Ciências e Matemática PUCRS
Dalcidio Moraes Cláudio – Faculdade de Matemática/PUCRS
Cálculo I é a típica disciplina que reprova, muitas vezes pela falta de conhecimentos básicos, que deveriam ser exigidos como pré-requisitos para a disciplina. Foi elaborado um programa de monitoria virtual para reforçar o conteúdo da disciplina. No presencial, comentava-se sobre o virtual, o que deu credibilidade para o virtual. Mais participação, reforço positivo – fulano de tal, obrigado pela participação no fórum. A possibilidade de anonimato no fórum também gerava maior participação. A repetência caiu de 40% para 20%. Foi criado um blog de cálculo. Hoje é feita monitoria conjunta com exercícios compartilhados. Professor deve ter fim de semana, não está empregado 24 horas. Equation – editor integrado ao Moodle, freeware. Nunca responda logo no fórum, espere para ver se os outros contribuem.

TC C3A1 – 152 – QUALIFICANDO DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR PARA ATUAÇÃO NA VIRTUALIDADE
Elaine Turk Faria – PUCRS
Lucia Maria Martins Giraffa – Mestrado em Educação em Ciências e Matemática PUCRS
Giraffa é coordenadora de um mestrado interdisciplinar. Os alunos no presencial fazem pressão por qualidade. Giraffa relatou a reformulação do projeto da PUC-RS Virtual, com software livre, e reformulação da gestão, em que a Unidade de EaD tornou-se disponível para as Unidades Acadêmicas. A Oficina Moodle é obrigatória para os professores. A Unidade presta serviços para a comunidade interna e també desenvolve serviços para fora, como cursos in-company. A equipe conta com coordenadores, professores, profissionais de TI e núcleo de mídia e design. A PUC-RS não tem tutor – tem professor! Técnicos em EaD não corrigem trabalhos.

14:00 – 16:00 – Mesas-Redondas, apresentações e encontros
Fiz minha apresentação durante o Fórum de Soluções Pearson sobre o curso “ABC da EaD no ambiente Second Life”:

seguido de Katrin Windsor (EUA), com “O custo real de manter uma plataforma de EAD Software como serviço”.

16:30 – 18:30 – Sessões Paralelas

Participei de uma sessão de mundos virtuais e Second Life.

TC F3A2 – 050 – A CONFIGURAÇÃO DO ESPAÇO DIGITAL VIRTUAL DE CONVIVÊNCIA NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM MUNDOS VIRTUAIS
Luciana Backes – Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Eliane Schlemmer – Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Exploraram a Biologia do Conhecer de Maturana e Varela, e a inspiração na Caverna de Platão para a construção do ambiente.

TC C3A2 – 202 – CRIAÇÃO DE IDENTIDADES DIGITAIS VIRTUAIS PARA INTERAÇÃO EM MUNDOS DIGITAIS VIRTUAIS EM 3D
Eliane Schlemmer – Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS
Daiana Trein – Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS

E o meu TC C3A2 – 022 – Ambientes Virtuais de Aprendizagem 3D online: ensinando e aprendendo no Second Life
João Mattar – Universidade Anhembi Morumbi

16/09/2008

09:00 – 11:00 – Sessão Plenária – Recursos educacionais abertos – Coordenação: Elisa Assis

Fredric Michael Litto – ABED (SP)
A participação de alunos em um curso estaria de acordo com o projeto do MIT? As editoras estariam preocupadas com recursos abertos?

Antonio Teixeira – Universidade Aberta de Portugal
O material usado presencialmente, disponibilizado p.ex. pelo MIT, não é auto-sustentável, alguém precisa financiar. Falou da abertura para pesquisa, pelo governo, dos repositórios, que não são interativos.
As Universidades de Ensino a Distância são complexas, como na Inglaterra e Holanda.
Há sistemas em que o material é disponibilizado ao aprendiz independente, que pode pagar pela tutoria e qualificação formal, se desejar.
Financiamento (pagamento) e regulação não colocam em jogo a noção de recusos abertos.
Há uma resistência dos autores a compartilhar seus conteúdos e permitir que eles sejam alterados.

Alberto Araújo – SENAI DN (DF)
Expôs a evolução do uso das TIs no SENAI, que envolve editora, equipamentos, banco de recursos didáticos (bastante interessante), Portal Media Center e bibliotecas digitais com livros e revistas abertos a todos. Foi um excelente exemplo de como uma apresentação pode ser curta e ao mesmo tempo muito legal. .

Marcos Formiga – UNB/ CNI (DF) fez uma apresentação muito interessante, sempre tranquilo, profundo, reflexivo e pausado.
Órgãos como ONU, Unesco etc. despertaram para os recursos abertos. O paradigma do séc. XXI é uma sociedade da aprendizagem, não do ensino. Mencionou o Relatório Delors. Andragogia – Knowles. From Andragogy to Heutagogy – Stewart Hase e Chris Kenyon – aprendizagem permanente e continuada. Educação além fronteiras. Universidades (Igrejas da Idade Média), Governo (Revolução Francesa) e Empresas (séc. XX e XXI). Petrobrás foi eleita a melhor universidade corporativa do mundo. Até 2020, haverá mais alunos nas universidades virtuais do que nas presenciais. UAB não é aberta.
Traçou então um histórico dos recursos abertos: Open University (69), GNU (84), Free Software Foundation (85), Open Society Institute (1993), IRFOL – International Research Foundation for Open Learning (1995), Open Learning Foundation (1998), MIT Open Courseware & Creative Commons (2001), Unesco – Forum on the Impact of Open Courseware for Higher Education in Developing Countries (2002), ITI – Instituto de Tecnologia da Informação (2003), CORE—China Open Resource for Education (2004), UNU OpenCourseWare (2006), Declaração de Kronberg sobre o Futuro da Aquisição e Compartilhamento do Conhecimento – outras instituições podem oferecer conhecimento, Declaração de Cidade do Cabo para a Educação Aberta – recursos produzidos com impostos que financiam a educação devem ser todos abertos, e Wikiversity Open Resource ERP (2007), Global Virtual University (2008), etc. (acompanhe os slides abaixo). A primeira década do século XXI pode ser chamada de Década Aberta.
Por fim, Formiga lembrou que o português representa 0,7% do conteúdo da Web, enquanto inglês 84%.

Cf. os slides da apresentação do professor Formiga:

Pablo de Camargo Cerdeira – Consultor FGV On Line (RJ)
Falou dos Cadernos Colaborativos da Escola de Direito. Na GV, o conteúdo é construído pelos professors, alunos e usuários da Net. A primeira tentativa foi o Moodle, que, entretanto, mantém a estrutura professor-aluno. Segunda tentativa: MediaWiki, modelo da wikipédia, que aliás usamos na elaboração do programa do 7º SENAED. O desafio não é apenas aprender a aprender, mas também aprender a ensinar. Pablo discutiu também a delicada questão da propriedade intelectual sobre os conteúdos produzidos nesses novos modelos.

11h30 – 13h00 – Sessões Paralelas – rodei por diferentes salas

TC B3B2 – 225 – Primeira Disciplina de Pós-Graduação Stricto-Sensu a Distância no Brasil com Apoio da CAPES
Rui Seabra Ferreira Junior – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita F
Jair de Jesus Mari – Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Benedito Barraviera – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita F
Projeto conjunto da UNIFESP e UNESP que utilizou o Moodle. A Capes teria sido muito aberta e receptiva. A disciplina foi oferecida por diversos cursos do Brasil e valia como créditos. Foram utilizadas várias mídias, como CD-ROM, Internet, vídeo-aulas e webconferências (que foram também gravadas).

TC C2B1 – 035 – GAME-ARTE – Objetos de Aprendizagem em Artes Visuais
Alexandra Cristina Moreira Caetano – Lab. Pesquisa em Arte e Realidade Virtual_UnB
Uma apresentação bastante interessante, que explorou o uso de jogos no ensino de arte. Exemplos mencionados: Desertesejo (Gilberto Prado), Ouroboros (Diana Domingues), Hub (Suzete Venturelli) e Cibercenários (Tania Fraga) – cf.:

Após a apresentação, conversei rapidamente com a Alexandra:

TC C5A1 – 191 – O Trabalho Docente no Ambiente Virtual de Aprendizagem da Videoconferência Estúdio de Geração
Valéria Faria Weckelmann – PUC – São Paulo
Explora o trabalho do professor em um ambiente de videoconferência. As videoconferências eram ministradas simultaneamente para salas localizadas em lugares geograficamente dispersos. O ambiente e os recursos utilizados pelo professor são explorados em detalhes no artigo.

13:00 – 14:00 – Intervalo, com uma novidade: Sessão Microfone Aberto – aqui, a professora Eliane Schlemmer assumiu o microfone:

14h00 às 16h00 – Sessões Paralelas – assisti em diferentes salas

Carl Holmberg – ICDE (Noruega) – “Embedding e-learning – roles of interaction and organization”
Pode-se diferenciar aprendizado informal, não-formal (sem notas), no trabalho etc. Thumb generation: mandam SMSs etc. É necessário modificar as estruturas de suporte para os aprendizes, incluindo todos os tipos de aprendizado – centros de aprendizado incorporando e-learning, EaD etc.

e posteriormente foi entrevistado (e aproveitamos a luz):

Pós-graduação stricto sensu a distância – mestrado a distância
Ymiraci Polak
Marcelo de Carvalho Borba – UNESP/Rio Claro (SP)
Patrícia Torres Lupion PUC PR (PR)
Coordenação: Vani Moreira Kenski – USP (SP)
Unopar utiliza o Adobe Connect. Exemplo de atividades: construção de mapas conceituais por grupos em todos o país.

16h30 às 18h30 – Sessões Paralelas

Direitos autorais e legislação em EaD
Apresentação: Direitos autorais e propriedade intelectual para EAD – aspectos jurídicos
Luiz Rogério Monteiro de Oliveira – USP (SP)
Coordenação: Fernando José Spanhol – UFSC (SC)
Fernando fez um apanhado da legislação sobre EaD no Brasil e Luiz em Propriedade Intelectual. Destacou que conferências, sermãos e palestras são protegidas por direitos autorais. Diferenciou direitos morais e patrimoniais do autor. Abordou a lei de software – tutoriais e games, seriam softwares ou obras? Não existe na lei nada que diga que até 10%, 3 minutos etc. estão liberados. É permitido fazer anotações de aulas, mas não gravar voz nem publicar anotações das aulas. Se não houver nada no contrato, você foi contratado apenas para uma edição (um curso). O conceito de obra derivada não está na lei nova. A discussão foi muito interessante, mas apenas achei que faltou preparar a apresentação especificamente para EaD.

17/09/2008

Vim embora antes então não assisti nada.

9h00 às 11h00 – Sessões Paralelas

11h30 às13h00 – Sessões Paralelas

14h00 – 17h00 – Sessão Plenária
Luc Marie Quoniam (webconferência)
Juan Lucca – BlackBoard (USA) – Tendências da educação superior e o papel da tecnologia no novo milênio.
Larry Cooperman – ICI (USA) – Opencourse ware consortium
Presidente: Marta de Campos Maia – FAAP (SP)

16h00 – 17h00 – Sessão Plenária – Auditório
Sessão de Encerramento
Balanço dos Encontros

Diversos

Espaço para checar emails etc.:

Infra da tradução simultânea:

Venda de Livros:

Pôsteres

Encontros

Com o querido Marcelo Cabeda, conversamos sobre Ecologia, Administração e Educação:

Querida Professora Eliane Schlemmer, da Unisinos:

Folhetos que recolhi na Feira de Expositores

Facinter – Pós-Graduação a Distância

INFOCO — Instituto Superior de Formação Continuada

CIEE – Centro de Integração Empresa-Escola

Senac-SP – Educação a Distância

WebTvInterativa

Senac Rio – Centro de Tecnologia e Gestão Educacional

Aennova – simuladores de negócios

Sesi – Serviço Social da Indústria

Pearson – Soluções

Biblioteca Virtual Pearson

Rede SENAI de Educação a Distância

Quickmind – que produz o Quicklessons, para rapid e-learning

UCB Virtual – Universidade Católica de Brasília

MicroPower – desenvolvedora da Virtual Vision, Learning Suite 2 e Presence, dentre outros produtos, além de cursos personalizados

ISAT – Inteligência Digital

Sesi – Serviço Social da Indústria – cf. Indústria do Conhecimento

Sistema Educacional Eadcon

Unisa Digital

iLang – ensino de idiomas baseado na web

People Educação

Blackboard (via Techne)

Sebrae Educação

Unopar Virtual

Uniararas

Unilasalle Virtual

Portal Educação – cursos a distância pela Internet

EducAM (eventos e projetos educacionais) e Simillimus (consultoria em EaD)

SunGard Higher Education

Kaizen Games

FGV Online

Recebi também um número da Colabor@, Revista Digital da CVA-RICESU – Comunidade Virtual de Aprendizagem da Rede de Instituições Católicas de Ensino Superior.

E, também, um CD com os artigos do evento, produzido na hora pela TechCD – personalização e gravação de CDs e DVDs, que de qualquer maneira estão disponíveis no site do evento.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

2 respostas a 14 CIAED

  1. Pingback: De Mattar » Blog Archive » 14° CIAED

  2. Dembek disse:

    Great goods from you, man. I have understand your stuff previous to and you’re just too excellent. I really like what you have acquired here, certainly like what you are saying and the way in which you say it. You make it entertaining and you still take care of to keep it sensible. I can’t wait to read far more from you. This is actually a terrific site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>