MoodleMoot08

Depois de participar do Moodle Moot 2007, voltei em 2008 para um evento que já tem lugar garantido no calendário da EaD no Brasil. Os Anais estão disponíveis online. Aqui vai um breve resumo do que assisti.

03/10 – sexta-feira

Na abertura (não cheguei no comecinho), comentou-se que o Mackenzie tem um modelo de sucesso na utilização do Moodle em larga escala.

Paula de Waal deu então uma palestra. Há hoje uma requisição constante de técnicos com experiência no Moodle, p.ex. para integração do sistema – virou uma profissão! Ela falou sobre as atualizações tecnológicas, as alterações na comunidade, os excessos de customização e a necessidade de o administrador conhecer o sistema por completo, dentre outros assuntos.

14:30 – 15:00 – ANTONELI, Clausia M.; FANTAUZZI, Elizabeth. O Moodle nas Organizações.
Apresentaram a utilização do Moodle como um Ambiente Virtual de colaboração para a comunicação e gestão do conhecimento.

15:00-15:30 – KESSEL, Zilda. A Implantação do Moodle como Meio de Promover o Trabalho Colaborativo e a Formação de Educadores e o Trabalho de Educadores com seus Alunos numa Rede de Escolas.
Apresentou o Moodle na formação e no trabalho colaborativo de professores na Escola Pueri Domus. Segundo Zilda, a escola descarta no final do ano sua memória, como planejamento, arquivos de quem é demitido etc. Nem o produto nem a discussão são preservados. Nesse sentido, um ambiente como o Moodle serve para corrigir esse problema.

15:30-16:00 – THESIN, Leandro H.; ZIMMER, Josete M.; SOARES, M. Salete P. Como Criar Seu Próprio Moodle.
Leandro apresentou, com sala cheia, diferentes maneiras de instalação e funcionamento do Moodle para uso docente. Mencionou o NineHub (que não exige nem o registro de domínio) e cPanel Fantástico, Dimdim, que possibilita videoconferência no Moodle e IVX (para hospedagem), dentre vários outros sites e serviços.

17:00-17:30 – CERQUEIRA, Valdenice M. M.; PASTORE, Renata G. Moodle e Educação Básica: Vencendo Desafios.
Apresentaram o uso do Moodle no Colégio Dante Alighieri para formação continuada de professores e apoio à sala de aula para os alunos, um processo que vem desde 2004, com a instalação. Cada professor e cada departamento escolheu a sua maneira de trabalhar, pois têm ideias diferenciadas para uso do ambiente. O aluno não deve alterar usuário nem senha, senão dá problema. Na época eram 49 cursos, 134 professores e 1.819 alunos. Segundo as autoras, é negativo mostrar o modo de edição no treinamento de professores – é melhor mostrar apenas a visão do aluno, para depois dessa introdução ao ambiente apresentar o modo de edição.

04/10 – sábado

09:00 – 09:30 – VILLAS-BÔAS, Vítor O.; PORTELA, Bruno R. Vplace: Web Conferência para Moodle Baseado no Conceito Web 2.0
Apresentaram o desenvolvimento de uma solução de Web conferência para o Moodle, denominada Vplace, para suprir a carência do Moodle na utilização de mídias com transmissão de áudio e vídeo de forma síncrona.

09:30 – 10:00 – AMORIM, Andréa G. do P. Ensino Fundamental – O Desafio de Implantar o Moodle como Extensão às Aulas Presenciais.
Apresentou um trabalho muito interessante, de bandeirante, que mostrou como ela, por iniciativa própria, conseguiu implantar o Moodle para uso com alunos no Colégio Santo Agostinho. Ela contou a história em que um aluno criou um perfil agressivo e a própria sala o pressionou.

10:00 – 10:30 – CORRÊA, Bruno, C. A Contribuição do Designer para a Construção e Uso de Objetos de Aprendizagem no Ambiente Moodle.
Apresentou seu trabalho de formação e apoio a professores (no estilo do conceito de aututor que defendo) em uma instituição de ensino superior. Gostei tanto da apresentação do Bruno que posteriormente o convidei para ministrar uma aula no curso de pós-graduação do Colégio Progresso. Bruno dava orientação aos professores quanto ao uso inadequado de imagens, tamanho de arquivos, cores etc. Ele citou vários sites e livros de consulta: Color in Motion, Projeto Gráfico: teoria e prática da diagramação, Cores na Mídia: organização da cor-informação no jornalismo, Multimídia: conceitos e aplicações e Design para quem não é designer.

11:30 – 12:00 – MACHADO JUNIOR, Felipe Stanque. Interface Gráfica de Ambiente Virtual de Aprendizagem como Potencializadora da Interação Mútua na Educação a Distância Online.
Apresentou um trabalho com excelente fundamentação teórica (Alex Primo, Marco Silva etc.), que está está disponível por completo nos Anais. Como o Moodle pode potencializar a interação mútua (conceito de Alex Primo)? Para Felipe, o Moodle apresenta todos os requisitos necessários para a interação. A interatividade não está no ambiente, mas no uso que se faz dele e nas estratégias pedagógicas. Felipe ainda apresentou um livro que ele envia gratuitamente para bibliotecas de instituições de ensino: Interatividade e interface em um ambiente virtual de aprendizagem.

12:00 – 12:30 – VOIGT, Emilio. Acompanhamento de Fóruns no Moodle.
Discutiu pedagogicamente a utilização de fóruns no Moodle. Não podemos pressupor que uma pessoa saiba usar um fórum. É necessário saudar as pessoas, para tornar o ambiente virtual convidativo. Cabe ao professor reconduzir a discussão para o foco.

12:30 – 13:00 – SATO, Sérgio N. Quem é o Moodler-Student?
Mostrou como é possível ao professor instalar seu próprio Moodle e inclusive trabalhar como administrador. Segundo Sato, o aluno é reativo, pois aguarda o estímulo do professor.

14:30 – 15:00 – CZESZAK, Wanderlucy; PICONEZ, Stela. Relato do Ambiente Moodle como Apoio a um Curso de Graduação Presencial.
Apresentou vários recursos do Moodle utilizados como apoio a uma disciplina presencial num curso de graduação de Pedagogia na USP.

15:00 – 15:30 – SILVA, Andréa C.; MATTAR, João. Sloodle: a Fusão entre o Second Life e o Moodle.
Reproduzo o resumo completo publicado nos Anais:

O objetivo deste trabalho é apresentar e demonstrar o mashup Sloodle, um projeto open source que integra o mundo virtual 3D Second Life (SL) com o Moodle, destacando seu potencial educacional.
É possível acessar o Sloodle tanto pela Web quanto pelo SL.
No ambiente Web, existem vários recursos correspondentes às ferramentas de um ambiente Moodle, adaptados para funcionar no SL, além de um Teleport que leva o aluno diretamente para o ambiente desejado no SL. Já no SL existem ferramentas correspondentes às existentes no Moodle, em sua versão 3D e com a possibilidade de troca de informação com o ambiente Web.
O Sloodle pode ser utilizado em vários formatos: como gerenciador de cursos (LMS) que ocorrem no SL; como ferramenta complementar às aulas disponíveis na web ou mesmo a aulas presenciais; como repositório de conteúdos SL armazenando dados na web; como ferramenta que permite equidade de acesso; como laboratório virtual; como ferramenta de conferência de baixo custo; etc.
A combinação entre um ambiente virtual 3D online como o SL, que hoje tem sido intensamente explorado em educação, com um ambiente virtual de aprendizagem como o Moodle, que tem se mostrado uma opção flexível e valorizada dentre os ambientes virtuais de aprendizagem disponíveis, abre inúmeras oportunidades para o ensino e aprendizagem de uma geração de nativos digitais. A riqueza da simulação e imersão possíveis em um mundo virtual 3D online, combinada com a capacidade de administração do aprendizado de um ambiente virtual de aprendizagem, apontam para a educação do futuro.

15:30 – 16:00 – SANTOS, Kariene da S. S.; POTAPCZUK, Diego. O Moodle na Indústria: Principal Interface nos Cursos de Qualificação Profissional a Distância.
Apresentou o excelente trabalho desenvolvido pelo SENAI/BA com o Moodle.

16:00 – 16:30 – PRADO, Cláudia; GARCIA, S. C.; MARTINS, C. P.; PERES, H. H. C.; LEITE, M. M. J. Uso do Moodle para Criação de um Curso à Distância sobre Mapa Conceitual – Uma Ferramenta de Apoio à Aprendizagem.
Apresentou uma experiência de criação de um curso à distância utilizando mapa conceitual no Moodle, na Escola de Enfermagem da USP. O construção do mapa servia para registrar a leitura de um artigo. Segundo Cláudia, é preciso dar liberdade para o aluno explicar seu mapa conceitual, pois acaba sendo muito pessoal. Mencionou o trabalho de Joseph Donald Novak, o software CMap Tools e o Grupo de Pesquisa em Informática da USP – GEPETE.

Uma montagem com algumas coisas que filmei por lá:

Além das interessantes sessões de Networking com café, recebi uma bela impressão dos Anais e uma malinha muito prática, que uso sempre. Nos vemos no Moodle Moot 2009 – imperdível – cf. o Programa!

Uma das coisas interessantes deste evento é que muitas vezes as pessoas falam do Moodle mas na verdade estão falando de um ambiente virtual de aprendizagem em geral, e de EaD. O Moodle acabou virando uma marca para AVA e EaD, como gillette é para lâminas de barbear. Em muitos casos, as discussões são discussões que dizem respeito a AVAs e à EaD em geral, e não ao Moodle, mas são colocadas como se fossem questões do Moodle. Ele falou sobre o CamStudio, um software gratuito para gravação de tela.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

2 respostas a MoodleMoot08

  1. Pingback: De Mattar » Blog Archive » Moodle Moot Brasil

  2. Testando serviço de comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>