YouTube na Educação

Esta página, que está em construção, contém orientações para a utilização de vídeos em educação, com atenção especial para o uso do YouTube.

No CIAED de 2009, apresentei o trabalho YouTube na Educação: o uso de vídeos em EaD, que resume vários pontos desta página.

Uso de Vídeos em Educação

Vídeos têm sido cada vez mais utilizados como recurso pedagógico. O uso de vídeos respeita as teorias dos estilos de aprendizagem e das múltiplas inteligências: alguns (ou muitos?) alunos aprendem melhor quando são submetidos a estímulos visuais e sonoros, em comparação com uma educação baseada somente em textos.

Vídeos podem ser utilizados para enriquecer aulas presenciais e em educação a distância; os professores podem produzir vídeos, assim como os próprios alunos, como atividades de criação. Vídeos podem, também, ser utilizados para registrar o progresso dos alunos em atividades e resoluções de problemas, dentre várias outras aplicações.

Uma experiência recente realizada com o YouTube no ensino superior foi conduzida pela professora Alexandra Juhasz, que ministrou a disciplina Learning from YouTube no Pitzer College, em 2007. Eu comentei a experiência em Vídeos em EaD.

Outra, mais recente, é o curso YouTube for Educators, oferecido pela Boise State University, do qual faço parte da primeira turma.

Um artigo da minha professora no curso discute vários pontos interessantes sobre o uso de vídeos em educação: Web-based video in education: Possibilities and Pitfalls.

Produção de Vídeos

Várias questões devem ser levadas em consideração na produção de um vídeo: câmera, cenário, luz, tripé etc. Comentei vários desses elementos em Pré-Edição de Vídeo.

O interessante artigo da PCWorld Dicas para quem deseja fazer um vídeo e publicá-lo na internet tem orientações e várias dicas de softwares.

Outro artigo da PCWorld, Dicas para quem deseja criar mashups e fazer sucesso no YouTube, traz dicas para escolha de câmeras, filmagem, sites para pesquisa de vídeos, conversão de arquivos, edição e pós-produção.

Em português, o site Fazendo Vídeos traz uma série de orientações para a produção de vídeos semi-profissionais.

O site Videomaker tem uma série de informações para quem deseja trabalhar com vídeos, dentre elas Make Better Video for YouTube, com várias dicas selecionadas nos últimos 20 anos da revista, não apenas voltadas ao YouTube. Learn Videography, Video Editing and Lighting, por exemplo, traz inúmeras orientações sobre produção e edição de vídeos.

Os tutoriais do Expert Village, How to Make a Video for YouTube, trazem diversas orientações de como produzir, editar e fazer o upload de um vídeo para o YouTube.

FixMyMovie.com é um serviço gratuito e online que promete melhorar a qualidade dos seus vídeos. A imagem não está legal? Passe o seu vídeo por lá e veja o que acontece.

Edição de Vídeos

É possível produzir vídeos apenas com textos, com trilhas sonoras e/ou narrações, com gravações de tea, com imagens paradas e/ou com imagens em movimento.

O Audacity é um software livre e gratuito para gravação e edição de áudio.

Há vários softwares para captura e gravação de telas em PCs, como SnagIt (leias alguns tutoriais), Camtasia Studio e Relay (leia alguns tutoriais), Fraps, HyperCam, oRipa Screen Recorder e WeGame. Uma opção gratuita, que parece tem sido aperfeiçoada (mas ainda não testei) é o CamStudio. Para Mac, uma opção é o SnapZ Pro X. Eu os revisitei recentemente no post Machinima, que inclusive fala sobre a produção de vídeos em games.

Para edição de imagens, existem inúmeros softwares, dentre os quais podem ser mencionados o Picasa (pela simplicidade), o Photoshop (bem mais profissional) e o Flickr (que é também um site para busca e compartilhamento de fotos) – há vários outros softwares para edição online de imagens. Sobre todos eles, pretendo falar mais por aqui. Public domain image resources é uma lista na wikipedia para bancos de imagens em domínio público na Internet, vale a pena dar uma conferida.

Um software com recursos básicos para a edição de vídeos em PCs é o Windows Movie Maker.

Um software com mais recursos é o Adobe Premiere. Você pode baixar a versão CS3, para uso com Windows XP ou Vista, por exemplo no Baixaki, com direito a 30 dias de uso gratuito. Em Premiere Pro, você encontrará uma série de dicas para o uso do programa.

O After Effects também serve para edição, mas principalmente para criação de animações e efeitos visuais.

Outro software bastante elogiado, mas que nunca usei, é o Sony Vegas.

A wikipedia tem uma página com a comparação de diversos softwares para edição de vídeo.

O JayCut permite a edição de vídeos online. Ele tem poucos recursos, mas é uma solução muito interessante para uma edição rápida, além de que o vídeo produzido já fica automaticamente disponível online. Há outros serviços para edição de vídeos online, como Jumpcut e Adobe Premiere Express, que ainda não experimentei.

Algumas referências para edição de vídeos em Macs (que não utilizo) são o iMovie, mais simples, e o FinalCut, mais profissional.

Para que você não tenha problemas em assistir a vídeos em diversos formatos, talvez seja necessário instalar no seu computador o K-Lite.

Efeitos

Vários efeitos podem ser utilizados na produção e edição de vídeos.

Green Screen (ou Chroma Key) envolve a substituição do fundo durante a edição do vídeo. Leia o artigo Chroma Key na Wikipedia, com vários links; o tutorial do Media College How to Make a Green Screen; e assista abaixo o vídeo do Videomaker – Setting up a Green Screen:

Stop Motion Animation é uma maneira de animar objetos que são filmados frame a frame, e ligeiramente movidos ou alterados entre os frames. Leia o artigo Stop Motion na wikipedia, com vários links, e assista aos tutorias no Expert Village: How to Make Stop Motion Animation.

Time Lapse Video é uma técnica em que o tempo parece fluir mais rápido. Os vídeos são gravados em pequenos intervalos, com tempo entre as gravações. Isso pode ser feito nas câmeras e/ou nos softwares de edição. Leia o artigo Time-Lapse na Wikipedia, com vários links, e assista a este bonito vídeo Time lapse radish seeds sprouting, top and roots growing, demonstrando o efeito:

Softwares de edição de vídeos podem também permitir que você aumente ou diminua a velocidade do vídeo.

Além disso, algumas câmeras permitem também que você aplique filtros especiais para a gravação de um vídeo.

Upload de Vídeos para o YouTube – e outros recursos

Para fazer o upload de vídeos para o YouTube, você precisa criar uma conta no YouTube ou adicionar o YouTube como um recurso na sua conta do Google. Alguns tutoriais para ajudar:

Establish a YouTube Account & Channel: monte sua conta e canal no YouTube. O link para a criação da conta no YouTube é o mesmo para usar a conta Google para acessar: clique aqui.

YouTube Handbook: diversos recursos do YouTube explicados.

Collecting Videos into a Playlist: como montar uma lista de reprodução no YouTube.

Diversos

O post Video Toolbox: 150+ Online Video Tools and Resources é de 2007, mas reúne uma série de links essenciais para você montar a sua caixa-de-ferramentas de vídeos.

Um recurso muito interessante para testar em educação é o stream de vídeo simultâneo para vários usuários à distância, com a possibilidade de chat e comentários por parte dos usuários, enquanto assistem aos vídeos. O YouTube tem o novo Streams, mas há outros serviços como BlogTV, Mogulus, Stickam e UStreamTV.

Caso você queira montar listas de reprodução de diversos serviços, confira Mefeedia, ULinkx, Video Sticky e Yuxt.

O dotSUB é um site muito interessante, em que você pode assistir videos com legendas em várias línguas – muita coisa em português. Os próprios usuários podem traduzir os vídeos, utilizando um recurso de legendas disponível no site. Ou seja, a atividade de legendar um vídeo, para as mais diversas línguas, foi socializado e distribuído para a comunidade.

Você deseja começar um site de compartilhamento de vídeos? Um colega de curso sugeriu os seguintes softwares, sites e tutoriais: PDHmotion, Brothersoft e ClipShare.

Há vários sites interessantes para pesquisas e em alguns casos donwload de vídeos (e também imagens e arquivos multimídia), como esses que foram mencionados no meu curso: Internet Archive Moving Image Archive, Library of Congress American Memory Motion Pictures Collections, Biography Channel, History Channel, Louvre e Wikimedia Commons. Preciso ainda rever meus links e colocar por aqui uma lista completa e comentada de sites para pesquisa e download de vídeos.

***

No segundo semestre de 2008, meus alunos de Moda da Universidade Anhembi Morumbi produziram, em grupo, diversos vídeos com leituras semióticas da cidade de São Paulo e suas “tribos”, e depois fizeram o upload dos vídeos para o YouTube. O processo de orientação e produção está descrito na página Semiotics & Fashion Readings of São Paulo, onde os vídeos estão também organizados por tópicos.

***

Também no segundo semestre de 2008, meus professores-alunos do Colégio Progresso produziram, para o Módulo Tecnologias Aplicadas à Educação no curso de Pós-Graduação Educação: Concepção e Conhecimento, vídeos sobre as disciplinas que ministram e fizeram upload deles para o YouTube. Os vídeos podem ser assistidos em Vídeos dos Professores do Colégio Progresso.

cf. Exploring Instructional Uses of YouTube with Lucy Gray (August 2012)

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

43 respostas a YouTube na Educação

  1. Pingback: De Mattar » Blog Archive » YouTube na Educação

  2. Moran disse:

    Caro João:
    Você está cada vez mais atualizado, divulgando experiências, recursos e aplicações inovadoras na educação. Sua contribuição é inestimável para os que estamos discutindo estas questões. Esta discussão sobre o uso do youtube na educação é da maior importância. Parabéns e conte comigo.
    Grande abraço
    Moran

  3. João Mattar disse:

    Professor Moran, é um prazer imenso tê-lo por aqui. Estou na parte final do curso YouTube for Educators, que estou fazendo à distância na Boise State University, e vou usar esta página para deixar tudo o que for possível para os educadores e alunos brasileiros, além de utilizá-la também como orientação para a produção de vídeos que os meus alunos da Universidade Anhembi Morumbi farão, neste semestre. Abraços

  4. wanderlucy disse:

    Excelente, João! Você, sem dúvida, já é referência brasileira em EaD!
    Fico impressionada de ver como o uso de vídeos já está difundido entre os mais jovens. Minha filha de 13 anos e seus colegas de escola têm produzido vídeos com relativa frequência para trabalhos escolares, ou apenas por diversão, e postado na rede.
    Já está mais que na hora de também nós, educadores, lançarmos mão desse recurso!

  5. Breno disse:

    Prezado Mattar,
    Conratulations por mais esta brilhante iniciativa. Hoje, depois de muitas idas e vindas faremos, na IES onde leciono, um curso sobre produção “super simples” de vídeos. Gostaria de deixar o link dos vídeos criados pelo prof. Fulvio Pacheco sobre história da arte, utilizados em discipclinas semi-presenciais (20%) e em disciplinas presenciais. Ele será nosso instrutor e com certeza teremos no blog “Devagar, Focado e Smplificacdo” uma referencia para os participantes.
    http://www.youtube.com/user/fulviopacheco
    PS) Estou devendo a participação na discussão interatividade + autonomia, eu sei!

  6. João Mattar disse:

    Excelente dica, breno, já assinei o canal dele!

  7. Pingback: De Mattar » Blog Archive » YouTube, Vídeos & Educação

  8. Alexandra Rabetti Zini disse:

    Professor,
    É impressionante mesmo a variedade de recursos já existentes para a confecção de vídeos. Só espero, num futuro próximo, ser capaz de utilizar, nem que seja minimamente, tais recurso em minhas aulas. Lamento, no entanto, não ter o tempo que gostaria para fazer um aprofundamento do uso de, pelo menos, alguns deles.
    Creio ser necessária uma capacitação mínima de nós professores da educação básica a fim de que possamos realmente usufruir dessas ferramentas. Pessoalmente, nunca produzi um vídeo e não sei bem por onde começar.

  9. João Mattar disse:

    Alexandra, sem dúvida uma capacitação é muito importante não apenas para a produção de vídeos, mas para uso de ferramentas em geral. Antes de produzir o vídeo, no nosso curso, propus algumas atividades de criação de um canal no YouTube, pesquisa de vídeos, exploração e montagem de listas de reprodução etc. Essas atividades sem dúvida darão várias idéias para o seu vídeo. Mas vamos conversando sobre isso lá no Moodle, ok?

  10. Olá Prof. João Mattar!

    Primeiro de tudo, parabéns pela iniciativa de reunir num lugar sua expertise e seus estudos sobre o uso de multimída em educação!

    Reparei que há poucas indicações de ferramenta de edição para Linux! Um local com bastante material (tutoriais e exemplos livres) é o estúdio livre:
    http://www.estudiolivre.org/tiki-index.php

    Fica a dica para contribuir com seu excelente material.

    Abraços

  11. João Mattar disse:

    Sérgio, realmente não tenho experiência com Linux. Vou dar uma olhada no link que você indicou. Obrigado

  12. Lucia Gentil disse:

    professor, fiquei me sentindo na idade da pedra ao ler suas colocações acima e ver tudo que já existe para ser aplicado em educação.
    Apesar de vislumbrar tudo qeu poderia fazer com tantas ferramentas, para mim é uma linguagem muito nova e está exigindo que me realfabetize e, principalmente, perca o medo dessa nova linguagem. Estarei em seus rastros para beber da fonte,
    ab
    Lucia

  13. João Mattar disse:

    Lúcia, acho que é possível separar pelo menos duas coisas. De um lado, há realmente muitas ferramentas, e às vezes o contato inicial com muitas delas acaba nos assustando mais e até nos afastando das experiências, o que é ruim. Esta página acabou tendo essa característica, ela fala de muitas coisas, mas é uma compilação de resultante de muita pesquisa e prática, ou seja, não é preciso imaginar que você tenha que dominar tudo e em pouco tempo. Outra coisa é perder o medo, de que você fala. Penso que tecnologia em educação não se pode “ensinar” apenas teoricamente, falando sobre as novas possibilidades dos vídeos, das redes sociais, da colaboração etc. É preciso pôr a mão na massa. Mas não pôr por pôr, só para mexer, e sim, sempre, com o olho na educação, nas possibilidades que cada uma dessas ferramentas, desses sites etc. podem nos trazer de novidades.

  14. Pingback: De Mattar » Blog Archive » Retrospectiva 2008

  15. Pingback: De Mattar » Blog Archive » Tecnologias Aplicadas à Educação - Colégio Progresso

  16. Pingback: De Mattar » Blog Archive » Top 100 Tools for Learning 2009

  17. Jose Alexandre disse:

    Olá Professor !
    sou diretor imagens em uma emissora de televisão e trabalho com edição de imagens a mais 10 anos, também sou professor em cursos técnicos profissonalizantes na aréa de administração, logistica. Por trabalhar na área, sou previlegiado em utilizar alguns dos recursos que são citados por você em minhas aulas, e os resultados são maravilhosos. Quem não usa o youtube com medo de amadorismo, perca o medo, pois até os telejornais que utilizam cameras de alta definição, quanto precisam utilizam imagens feitas por celulares e ou cinagrafistas amadores. Viva o youtube!

  18. cassiana disse:

    Olá Professor,
    As pessoas estão familiarizadas com vídeos do youtube, a todo momento algum deles vira hit. A idéia de utilizá-lo na educação é simples e fantástica.
    Para o aluno, acredito que o aprendizado torna-se quase que uma diversão e isso é muito interessante. Aprender com prazer. Parabéns e continue nos trazendo as informações preciosas sobre vídeos em educação.

  19. Ana Paula Kirchhof disse:

    Olá Professor!
    Lendo suas colocações lembrei dos vídeos que produzi com meus colegas de escola, com aquelas filmadoras antigas enormes que pegávamos “emprestadas” de nossos pais!!!
    Acho ótima esta possibilidade de criar novos métodos para aprimorar as tecnologias utilizadas na educação, utilizando meios tão acessados e disponíveis como o youtube.
    Ainda me sinto um pouco pequena vendo que existem tantas ferramentas que podem ser utilizadas, mas fico feliz em saber que algumas delas que tu citastes já não são tão desconhecidas para mim… como o Picasa, Windowns Movie Maker e o Audacity… inovar é preciso!!!
    Ainda há muito o que aprender!!!!!!!!
    Obrigada!

  20. Elisete disse:

    Oi prof.
    Uso muitos vídeos do yuotube nas minhas aulas, é um excelente recurso pedagógico, pois enriquece e contribui com a aprendizagem dos alunos, facilita para o professor e dinamiza a aula . Espero com todas essas dicas, elaborar meus próprios vídeos e utilizar dessa ferramenta com mais precisão.
    Abraços

    Elisete

  21. Elaine Alva disse:

    Professor João, excelente texto abordado sobre o uso do youtube nas salas presenciais como complemento de material para ser exposto aos alunos. Toda a sua fala aqui neste neste é de grande valia e muito enriquecedora para os meus aprimoramentos, evolução e aprendizado em EAD. Realmente o Youtube é uma ferramenta enriquecedora e que nos proporciona de certa forma o complemento das aulas, são motivadores e até sugestivos para outras propostas. Quando nos pegamos lendo os seus artigos ou qualquer material referente ao assunto EAD são um grande aprendizado. Acompanho já há algum tempo tdo esse material e gostaria de agradecer por estar compartilhando desse estudo. Parabéns professor , estarei aqui sempre para aprender cada vez mais . Obrigada por participar, um grande abraço.

  22. Olá, gostaria de sugerir também para a produção de vídeo o site http://www.screenr.com, é a gravação básica da tela do computador sem muitos recursos, por outro lado é uma opção prática e fácil (fácil mesmo!) de usar.

    Abraços!

  23. Paula Ugalde disse:

    Olá Professor João Mattar!!

    Este seu blog é #sensacional! É procurar palavras-chave sobre educação com tecnologias e lá está ele nos resultados!!! Grata pelas aprendizagens!! :)

  24. claudia reisania martins disse:

    Boa noite professor Mattar, realmente é um excelente texto, é de grande valia, eu particularmente uso muito os vídeos do yuo tube, aprendi a fazer meus próprios vídeos, com os vídeos do yuo tube aprendir como usar o corel, photoshop, videos pra concursos, sem contar que tem dicas valiosas, é um excelente recurso pedagógico sim! O vídeo é uma ferramenta poderosa ao alcance de todos. É uma ferramenta enriquecedora
    Segundo Moran(1995), esse é um fator importante, pois ao se usar o vídeo em sala de aula, na cabeça dos alunos, significa lazer e não aula. E isso, quando usado corretamente, atrai o aluno para os assuntos do planejamento pedagógico.
    A objetividade do vídeo é impressionante. Carvalho e Gonçalves (2000) explicam que “as imagens do vídeo causam impacto e falam por si mesmas”.
    Hoje existe uma grande variedade de ofertas de vídeos preparados especialmente para auxiliar e ampliar a tarefa do professor em sala de aula.
    Parabens

  25. Laudicéia Moreira dos Santos disse:

    Oi Profº João Mattar, ao ler seu artigo fiquei ainda mais motivada com o ensino á distância,sou uma defensora da EAD, pois com todas as exigências do nosso dia-a-dia, poder escolher o local e a hora para ampliar o conhecimento é fascinante.Com os videos na net e com tantas ferramentas disponíveis no mundo virtual, ficou mais fácil a interação entre professor e aluno, e com a necessidade constante de se manter atualizado a “Era Digital” veio para facilitar o acesso as informações e é um um meio alternativo e eficiente para que todo profissional esteja atualizado com as dinamicas de sua profissão.Obrigada pelas dicas.

  26. Ana Maria Cardoso disse:

    olá, professor:

    fico realmente encantada com a sua disponibilidade em contribuir com material e conhecimento que, aqui, se dá pela aplicação do youtube na aprendizagem. Gosto muito desta ferramenta, que por associar imagem e áudio, nos fascina já há muitas décadas a partir do uso da TV por exemplo. Pena que ainda estou engatinhando nesta fase de produção de material em vídeo.
    Gostaria de lhe provocar com uma questão: os cursos de EaD ainda não se preocupam com o aspecto estético do ambiente de aprendizagem, pois se vê as páginas de EaD ainda (as que conheço) muito frias e de pouco deleite visual.
    Você considera que isto influencia o aluno a interagir e atuar de forma mais significativa no curso que está fazendo??

    abraços

  27. Rosilainy de Andrade Silva disse:

    Incluir vídeos em nossa prática pedagógica é realmente muito interessante. Existem muitas possibilidades e esse procedimento deve refletir em resultados para o processo ensino-aprendizagem. Vídeos criativos, bem escolhidos, aproximam a sala de aula do que verdadeiramente acontece lá fora, na rua, no cotidiano, portanto devem ter objetivos bem definidos, linkados aos conteúdos que se deseja trabalhar com os alunos. O vídeo deve dialogar com o conteúdo proposto e não deve ser usado como material para preencher espaço vazio de aula. Vídeo será interação. Pode introduzir, exemplificar ou concluir determinado conteúdo. É necessário reconhecer nas imagens o tema da aula. Excelente material!

  28. cristiane disse:

    Olá professor,
    Obrigado por ensinar e nos disponibilizar mais informações, sou aluna de um pós na Anhanguera, e estamos aprendendo sempre.
    abraços

  29. lucilenemoura disse:

    olá professor o gostei muito do seu blog.

  30. Elvira disse:

    Wonderful beat ! I wish to apprentice while you amend your website, how could i subscribe for a
    blog web site? The account helped me a acceptable deal.
    I had been tiny bit acquainted of this your broadcast provided
    bright clear idea

  31. Elena disse:

    Wow that was odd. I just wrote an really long comment but after I
    clicked submit my comment didn’t show up. Grrrr… well I’m
    not writing all that over again. Anyhow, just wanted to say fantastic blog!

  32. Paulo disse:

    Attractive section of content. I just stumbled upon your site and in accession capital to
    claim that I get in fact enjoyed account your blog posts.
    Anyway I’ll be subscribing on your augment and even I fulfillment
    you get admission to consistently rapidly.

  33. Alexandre Massao Sugawara disse:

    Muito interessante o uso do youtube. Interessantíssimo seria estimular os alunos a gravar apresentações de seminários no youtube. Tive uma experiência com alunos de ensino médio e apresentação do relatório de aula prática no youtube. O resultado foi uma aplicação bem maior do aluno que se motiva ao uso da ferramente e ao aprendizado, pois procura fazer um trabalho bem elaborado que possa ser aproveitado por todo mundo na rede, cria responsabilidade com o conteúdo abordado.

  34. Alexandre Massao Sugawara disse:

    O desafio de aplicar a ferramenta do video no youtube pelo docente numa universidade onde a maioria dos alunos da sala trabalha o dia inteiro e esta cansado para atividades extracurriculares. Vou fazer um teste de motivação e colher os resultados para mostrar neste blog. Em breve trago noticias.

  35. Katlyn disse:

    Please let me know if you’re looking for a writer for your site.

    You have some really good posts and I think I would be a good asset.
    If you ever want to take some of the load off, I’d
    absolutely love to write some articles for your blog in exchange for a link
    back to mine. Please send me an email if interested.
    Thank you!

  36. Como introduzir o youtube como uma ferramenta de ensino a distância em salas tradicionais presenciais para ser um desafio de monta. O alunado esta motivado o suficiente?? autônomo o suficiente?? Acredito que estas ferramentas esbarram num problema cultural. Design instrucionais são fundamentais para fazer uma análise bem ampla e aprofundada, para planejar e desenvolver o EAD. Assim, acredito que não basta fazer, mas fazer como fruto de um planejamento assessorado por profissionais do desgin instrucional é fundamental. Caso contrário, seriam apenas relatos de experiências sem metodologia.

  37. O papel do design instrucional é decisivo para a qualidade final das aulas em vídeo. Pois o que se pretende é possibilitar o aprendizado, e o resultado esperado é uma competência, uma habilidade mensurável. Peço atenção a esta consideração postada, pois criaremos um elefante branco de vídeos, reforçando que estamos na era da informação mas não do conhecimento. Assim, é mais importante focar o aprendizado com a ferramenta TICs do que propriamente a ferramenta.

  38. Tatiana Araujo disse:

    Professor, voce é demais! Obrigada por compartilhar com a gente suas experiências!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>