Algumas questões de Metodologia Científica

Nas bancas dos Trabalhos Interdisciplinares e dos TCCs dos alunos da Universidade Anhembi Morumbi, no semestre passado e nos anteriores, e durante o desenvolvimento dos trabalhos neste semestre, surgiram algumas dúvidas de metodologia científica que parecem ser constantes, inclusive em dissertações de mestrado e teses de doutorado em várias instituições pelo país.

Selecionei abaixo algumas das dúvidas mais frequentes e proponho as soluções, mas qualquer comentário é obviamente bem-vindo. Se alguém tiver mais alguma dúvida, pode fazer um comentário por aqui que em seguida eu já acrescento a dúvida e a solução ao próprio post.

Apenas para deixar registrado, as normas mais importantes para trabalhos acadêmicos são:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6.023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, ago. 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10.520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, ago. 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14.724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, dez. 2005.

Todas as reflexões neste post estão baseadas nessas normas. As Normas da ABNT, entretanto, não têm força de lei, e portanto não são seguidas à risca por todas as instituições de ensino, revistas, editoras etc. Então, você deve seguir primeiramente as orientações que são fornecidas para o seu trabalho pela sua instituição, pelo seu departamento ou pelo seu orientador.

Em geral, entretanto, as orientações são de que as normas da ABNT devem ser seguidas. Supostamente, lendo as normas tudo estaria resolvido, mas infelizmente a coisa não funciona assim. Em primeiro lugar, as normas são grandes e não são fáceis de ler, muito menos de aplicar, principalmente porque muitas vezes elas apresentam exemplos mas não regras, e você precisa inferir a regra a partir dos exemplos. Além disso, as normas não são exaustivas, ou seja, elas não conseguem cobrir todos os tipos de documentos e possibilidades, principalmente no caso das fontes online, que se modificam com muita rapidez (reparem que a data de 2 das normas indicadas acima é 2002, e de lá para cá surgiu o YouTube, surgiu o Second Life, cada vez mais páginas da web são compostas em Flash etc. – então, obviamente nada disso está coberto pelas normas). Para piorar, em alguns casos as normas da ABNT não são claras, permitindo mais de uma interpretação.

Então vamos aos problemas – e às soluções.

a) Ordem das Referências

A NBR 6023 deixa claro que, se utilizarmos o sistema autor-data para fazer citações durante o texto (o mais utilizado em trabalhos acadêmicos), “as referências devem ser reunidas no final do trabalho, do artigo ou do capítulo, em uma única ordem alfabética.” (p. 20)

Portanto, segundo a ABNT, as referências não devem estar classificadas por tipos, com uma lista alfabética para livros, outra lista para sites, outra para artigos, outra para vídeos etc. Ao contrário, todos os documentos que aparecem nas referências devem estar em uma única lista, organizada alfabeticamente. O objetivo disso é claro e bastante funcional: facilitar a busca do leitor, quando ele quiser achar alguma coisa nas referências. Se o leitor tiver que ficar procurando em diversas listas, pode se perder e acabar não encontrando aquilo que estava procurando.

b) Referências a Fontes Online

A NBR 6023 fornece vários exemplos para a elaboração de referências a fontes online.

No caso de monografias, artigos de jornais e revistas, eventos e trabalhos apresentados em eventos, documentos juridicos, vídeos, imagens, documentos cartográficos, áudio e partituras, devem ser utilizados os elementos normais para as referências a esses documentos, seguidos de “Disponivel em: ” (com o endereço completo da página que você acessou, não apenas da home page da qual aquela página faz parte) e “Acesso em: ” (a hora não é obrigatória, apenas a data).

No caso de páginas da Internet, sempre que houver um autor ele deve aparecer primeiro na referência, seguido do título da página, além das expressões “Disponivel em: ” e “Acesso em: “.

Apesar dos vários exemplos disponíveis na NBR 6023, não há regras para montar referências a todos os tipos de páginas da Internet, então é natural que surjam dúvidas. Mas pense sempre o seguinte: a sua referência deve ter: (a) um autor, instituição responsável e/ou título, seguido do (b) endereço e (c) da data de acesso.

Aqui vão alguns exemplos (usei espaço antes e depois do endereço porque estava dando um problema com o post, mas não deve haver espaço entre os sinais <> e o endereço):

MONTOR, Wagner Ricardo; SOGAYAR, Mari Cleide. Insetos como biofábricas de proteínas humanas. Ciência Hoje, Rio de Janeiro, v. 33, n. 196, p. 16-23, ago. 2003. Disponível em: < http://www.uol.com.br/cienciahoje/ch/ch196/insetos.htm >. Acesso em: 06 set. 2003.

RIBEIRO, Cláudia. Fundos de Internet têm rentabilidade negativa. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 15 dez. 2000. Disponível em: < http://www.estadao.com.br >.

QUINE, Douglas Boynton (Mant.). Willard van Orman Quine 1908 — 2000. Homepage sobre o filósofo e matemático. Disponível em: < http://www.wvquine.org/wv-quine.html >. Acesso em: 4 jan. 2001.

LUZ, Protásio Lemos da; FAVARATO, Desidério. Chronic coronary artery disease. Arq. Bras. Cardiol., v. 72, n. 1, jan. 1999. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066- 782X1999000100002&lng=en&nrm=iso >. Acesso em: 23 nov. 2006.

MEC — MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Educação Superior a distância. Disponível em: < http://www.mec.gov.br/Sesu/educdist.shtm >. Acesso em: 4 out. 2000.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Estatuto da UFBA. Disponível em: < http://www.ufba.br/estatuto_ufba.html >. Acesso em: 4 jan. 2001.

WORLD War II. In: Encyclopaedia Britannica Online. Disponível em: < http://members.eb.com/bol/topic?eu=118865&sctn=1 >. Acesso em: 6 jan. 2001.

THE AMERICAN Heritage dictionary of the English language. 4th ed. Boston: Houghton Mifflin, 2000. Disponível em: < http://www.bartleby.com/61/88/G0198850.html >. Acesso em: 23 abr. 2000.

c) Citações de Fontes Online

Apesar de a norma para citações, NBR 10.520, ter sido revisada pela última vez em 2002 e não possuir exemplos de citações de fontes online, ela não deixa dúvidas sobre como devemos proceder. Aliás, ela não é uma norma de citações para cada tipo de documento diferente, mas, ao contrário, uma norma para citações em geral, ou seja, há uma regra que deve ser usada para todo tipo de documento – e, então, a mesma regra pode ser aplicada sem problemas para a citação de fontes online.

A referência a uma fonte online deve ter obrigatoriamente pelo menos: um autor (instituição responsável ou título) e uma data (mesmo que seja apenas a data de acesso). E são apenas desses elementos que você vai precisar, para colocar após a citação durante o texto, supondo que o texto online não tenha páginas (quando houver páginas no texto online e você fizer uma citação direta – em que copia uma passagem – a indicação da página é obrigatória, segundo a ABNT).

Como ficariam então as referências para as citações durante o texto dos documentos indicados acima – supondo que eles não tenham paginação?

(MONTOR; SOGAYAR, 2003)

(RIBEIRO, 2000)

(QUINE, 2001)

(LUZ; FAVARATO, 1999)

(MEC, 2000)

(UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA, 2001)

(WORLD…, 2001) – no caso em que não há autor mas apenas título, deve-se abreviá-lo.

(THE AMERICAN…, 2000)

Ou seja: não faz sentido, de acordo com a ABNT, indicar o endereço de um site após uma citação em um texto – o endereço do site, que muitas vezes é enorme, deve aparecer apenas nas referências completas, no final do texto. Além dessa prática não seguir as normas da ABNT, esteticamente o texto fica muito truncado e a leitura acaba sendo prejudicada. A indicação do site durante o texto também não traz nenhuma informação importante ao leitor – normalmente ele fará uma rápida busca no Google para achar o site e dificilmente digitará um site muito longo, mas se precisar pode ir até as referências (como faz com qualquer outro tipo de documento) para conferir os dados completos da fonte.

d) Referência a um Documento ou Arquivo enviado por uma Empresa

Para montar a referência a um documento ou arquivo que você recebeu de uma empresa, você deve inicialmente procurar utilizar os mesmos elementos essenciais que utilizaria numa referência comum, p.ex. a um livro: autor, título, edição, local, editora e data.

Muitas vezes, nesse tipo de documento ou arquivo o autor será uma entidade, e não uma pessoa física, então o nome da entidade deve vir no início da referência, em letras maiúsculas.

Além dos elementos essenciais que você tiver do documento ou arquivo, no final da referência você pode acrescentar os elementos complementares que considerar importantes para melhor identificar o documento. Ex.:

CENTRO DE PESQUISAS EMPRESA X. A história da Empresa X. Arquivo de Word enviado por email em 23 de outubro de 2007 por Carlos Alberto, diretor do Centro de Pesquisas da Empresa X.

Nesses casos, você precisará criar uma referência para cada documento ou arquivo recebido.

e) Referências a Citações no Rodapé ou no Texto?

A NBR 10520 deixa claro que as citações podem aparecer no texto ou em notas de rodapé (p. 2). Ou seja, a opção é de quem está escrevendo o trabalho, a menos que haja uma orientação específica da sua instituição, do seu departamento ou do seu orientador. Eu, particularmente, gosto muito mais de utilizar notas de rodapé porque acho que o texto, com muitos parênteses, acaba ficando muito poluído visualmente. Mas isso é apenas um gosto pessoal – a ABNT dá total liberdade para o autor do trabalho sobre como ele quer indicar as referências para as citações – no rodapé ou no texto.

Cubro muitas dessas dúvidas em mais detalhes no meu livro Metodologia Científica na Era da Informática.

Esta entrada foi publicada em Educação, Metodologia. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

47 respostas a Algumas questões de Metodologia Científica

  1. Maria Fernanda Escobar disse:

    Olá professor,
    obrigada por mandar com tanta rapidez as soluções para as nossas dúvidas.
    Hoje de manhã (depois de ter perguntado mais uma vez ao senhor sobre as normas, rs) fui ao laboratório consultar as normas NBR 6.023 e encontrei um subtítulo chamado “Documentos de acesso exclusivo em meio eletrônico”, que dava como exemplo um caso de arquivo recebido por e-mail.
    Para as minhas referências utilizei esse exemplo. Gostaria que o senhor desse uma olhada e me dissesse o que acha:

    HUDSON, Neli. H.Stern. H.Stern I Departamento de Comunicação – SP [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 12 mar. 2009.

    Agradeço desde já!

  2. João Mattar disse:

    Maria Fernanda, se você recebeu a mensagem no corpo do email, a referência está correta de acordo com a ABNT, apenas falta o destaque no título da mensagem (itálico ou negrito, que acho não dá para fazer aqui no comentário), não entendi por que parece que a mensagem tem 2 títulos, e falta o endereço do email (ou seu nome) depois do “por”. Essa seria mesmo a regra da ABNT, mas para mim não fica claro que é um email, então eu acrescentaria a palavra email, ou no lugar de mensagem pessoal, ou após a citação.
    Mas veja que isso é a forma de citar um email. Se você recebeu um arquivo anexo ao email, então precisa usar a referência que eu indiquei acima, para documentos recebidos de uma empresa (letra d).

  3. Andressa de Oliveira disse:

    Professor!

    Obrigada pelos esclarecimentos e pela ajuda!
    Nas referências, ao citar mais de um documento enviado por e-mail por uma empresa, deve-se utilizar a regra para mesmo autor?

    CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA. Breve Histórica Brastemp. Arquivo de Word enviado por e-mail em 06 março 2009a por João R. Goto, funcionário do Centro de Documentação e Memória Whirlpool.

    _____________. Momento consumidor. Arquivo de PDF enviado por e-mail em 16 março 2009b por Christian G. Vinci, funcionário do Centro de Documentação e Memória Whirlpool.

    (Não é possível utilizar negrito/Itálico nos comentários)

    Agradeço desde já!

  4. João Mattar disse:

    Andressa, o traço sublinear (equivalente a 6 espaços) seguido de ponto é apenas uma opção para substituir o nome do(s) autore(s) de mais de um documento, mas não é obrigatório. Aliás, se você usa essa opção logo no início do trabalho, e depois vai colocar as referências em ordem alfabética, acaba saindo tudo errado. Então, deixe para fazer isso, se quiser, apenas no final, na hora de imprimir o texto, mas, repito, não é obrigatório. Pode acontecer desses documentos terem uma data, e é sempre bom tentar perguntar para quem enviar o documento. Se tiver, você vai usar o a, b etc. após a data, e não após a data de acesso. Caso contrário, eu faria como você fez. Agora, veja que esse tipo de documento, que não tem muitas vezes data, que não está publicado etc., têm um valor questionável – você nunca tem certeza de que ele é fidedigno, que é realmente utilizado pela empresa etc. Chamamos isso de grey literature, dê uma olhada nesta página: http://www.joaomattar.com/santanna/mcte/04/12.html. Procure combinar esses documentos com fontes da Internet, publicações etc., não é bom que o Trabalho esteja baseado apenas e principalmente nesse tipo de documento.

  5. Ana Paccini disse:

    OLá professor João Mattar, gostaria de saber como faço citação de aula no meu texto.
    Usei em meu texto muitas informações que a professora Liliam Maria deu em aula.
    Obrigada.

  6. João Mattar disse:

    Oi, Ana. Para montar a referência, faça assim (pensando que é uma aula minha):

    MATTAR, João. São Paulo: Universidade Anhembi Morumbi, 23 mar. 2009. Aula ministrada aos alunos do curso de Negócios da Moda, turma NA3.

    Para a citação, a regra é sempre a mesma: sobrenome do autor (da entidade ou primeira palavra do título) e data. Neste caso então ficaria:

    (MATTAR, 2009).

  7. solange disse:

    Mto bom seus esclarecimento, utilizei em meu tcc, artigos da net, e o professor descontou 1 ponto pq nao aparecia no texto o numero da pagina, fiz como esta acima, ou seja no texto (FULANO DE TAL, 2006) e nas referencias, todos os dados possíveis e mais ,,,, e o cara tirou a nota. Mas valeu vou tentar negociar com os orientadores

  8. João Mattar disse:

    Solange, como eu digo no post, estou supondo que os textos online não tenham páginas. Quando se trata de um texto impresso, com página, ou de um texto online que tenha páginas, nas citações diretas (em que você copia um trecho), a página é obrigatória na referência da citação. Quando a citação é indireta, em que você não copia exatamente uma passagem, a página não é obrigatória. Aproveitei seu comentário e procurei melhorar o texto para deixar clara a questão da página.

  9. alyson disse:

    Oi, Professor João Mattar! Estou escrevendo um projeto de pesquisa e estou tentado a colocar uma fala que me foi enviada por e-mail. Não é um documento enviado por e-mail, mas uma resposta de um jovem para uma pergunta que fiz, tbm por e-mail. Como procedo nesse caso?
    Obrigado.

  10. João Mattar disse:

    Identifique o autor da mensagem e forneça seu título.

    Além da data em que a mensagem foi enviada, identifique a comunicação como “E-mail”:

    BERNSTEIN, Mark. Storyspace in Brazil. 21 nov. 2000. E-mail.

    BELLINATI, Paulo. Baden Powell. 26 set. 2000. E-mail.

  11. Carolina disse:

    Olá, professor Matar,

    tenho uma dúvida: como colocar a referência no sistema autor-data em citações diretas de textos da internet que:

    têm autor e data, mas não tem página?
    Têm autor e página, mas não tem data?

    Muito obrigada pelos esclarecimentos,
    Carol

  12. João Mattar disse:

    Carol, no mínimo a data de acesso vai ter que existir na sua referência, então você vai usar essa data.

  13. Olimpio Falchete Junior disse:

    Muito legal, desde outra faculdade que estudava, todos os pofessores exigiam trabalhos seguindo as normas, e em muitos momentos surgiam duvidas, agora sei onde tirar duvidas de maneira eficiente de maneira que entendemos com facilidade.

  14. Gisele disse:

    Estava lendo teus comentários, e achei muito importante para mim, porque estou em pleno desenvolvimento do meu tcc.
    Tenho só uma duvida, sobre colocar citações tiradas da internet, quais são as normas que deve ter, em colocar estas citações em meus textos.

    Muito obrigada!!!

  15. João Mattar disse:

    As referências de fontes da Internet devem vir no final do trabalho, em lista única.

  16. Francisco Marques disse:

    Estou fazendo a revisão de uma tese de doutorado e fiquei em dúvida de como corrigir a Nota: “Coelho Neto elegeu-se em 1909 e reelegeu-se em 1917. Cf. ”
    O “Cf.” para endereço eletrônico não está citado em nenhuma Norma. Pode ser usado? É preciso acrescentar algo antes ou depois do endereço?
    Obrigado.

  17. Francisco Marques disse:

    Enviei uma dúvida e, no texto, não apareceu o endereço eletrônico. Repito, então, a mensagem:
    Estou fazendo a revisão de uma tese de doutorado e fiquei em dúvida de como corrigir a Nota: “Coelho Neto elegeu-se em 1909 e reelegeu-se em 1917. Cf. ”
    O “Cf.” para endereço eletrônico não está citado em nenhuma Norma. Pode ser usado? É preciso acrescentar algo antes ou depois do endereço?
    Obrigado.

  18. Francisco Marques disse:

    Desculpe, repeti a mensagem e tornou a não aparecer o endereço, não sei por que motivo. Mas a questão é: após o Cf. vem o endereço eletrônico. Posso contar com um esclarecimento mesmo sem esse detalhe?

  19. João Mattar disse:

    Francisco, o cf. tem uma função genérica, então não vejo problema nenhum em ele aparecer antes de endereço eletrônico, assim como aparece antes de artigos, livros etc.

  20. Francisco Marques disse:

    Obrigado, Professor. Apenas ficou uma dúvida: é preciso acrescentar algo depois do endereço, como “Acessado em: (data)”?

  21. João Mattar disse:

    Sim, depois do endereço, vem a data de acesso. Agora repare – se você colocou os dados completos nas referências, pode colocar abreviado durante o texto, com o sobrenome do autor (ou título, se não houver autor) e data.

  22. Francisco Marques disse:

    Ok, obrigado pelo importante serviço que este site presta. Provavelmente voltarei a recorrer a sua ajuda.
    Parabéns.

  23. Francisco Marques disse:

    Como disse, volto a recorrer à ajuda de quem sabe, agora sobre o Acordo Ortográfico: a questão do hífen em palavras como “porta-voz”, “sócio-ambiental” e “abaixo-assinado”. Para facilitar, colo aqui três regras que nos deixam inseguros, pois não posso acreditar que tudo se resume em escolher qual dos dois caminhos vamos seguir:
    (SIM)
    Emprega-se o hífen nas palavras compostas por justaposição que não contêm formas de ligação e cujos elementos, de natureza nominal, adjetival, numeral ou verbal, constituem uma unidade sintagmática e semântica e mantêm acento próprio, podendo dar-se o caso de o primeiro elemento estar reduzido: ano-luz, arcebispo-bispo, arco-íris, decreto-lei, és-sueste, médico-cirurgião, rainha-cláudia, tenente-coronel, tio-avô, turma-piloto; alcaide-mor, amor-perfeito, guarda-noturno, mato-grossense, norte-americano, porto-alegrense, sul-africano; afro-asiático, afro-luso-brasileiro, azul-escuro, luso-brasileiro, primeiro-ministro, primeiro-sargento, primo-infeção, segunda-feira; conta-gotas, finca-pé, guarda-chuva.
    (NÃO)
    Nas formações com prefixos (como, por exemplo: ante-, anti-, circum-, co-, contra-, entre-, extra-, hiper-, infra-, intra-, pós-, pré-, pró-, sobre-, sub-, super-, supra-, ultra-, etc.) e em formações por recomposição, isto é, com elementos não autónomos ou falsos prefixos, de origem grega e latina (tais como: aero-, agro-, arqui-, auto-, bio-, eletro-, geo-, hidro-, inter-, macro-, maxi-, micro-, mini-, multi-, neo-, pan-, pluri-, proto-, pseudo-, retro-, semi-, tele-, etc.), só se emprega o hífen nos seguintes casos: … [não está citado nosso caso.]
    (NÃO)
    Não se emprega, pois, o hífen:
    [...]
    Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por vogal diferente, prática esta em geral já adotada também para os termos técnicos e científicos. Assim: antiaéreo, coeducação, extraescolar, aeroespacial, autoestrada, autoaprendizagem, agroindustrial, hidroelétrico, plurianual.

    Desculpe tanta mão-de-obra – que não sei se se escreve assim -, mas não é muito fácil conseguir orientação.
    Obrigado.

  24. João Mattar disse:

    Francisco, eu confesso que, antes da Reforma, sempre olhava no dicionário para saber se as palavras tinham hífen – e, agora, não sei mais o que fazer! Pelo que ouvi falar, o Senado já está propondo uma Contra-Reforma Ortográfica, principalmente por causa do uso do hífen, que parece, como você mesmo mostra, que não ficou claro. Tenho usado o hífen ainda sem muita precisão.

  25. Francisco Marques disse:

    Professor, de nenhuma maneira gostaria de parecer que sou um crítico do trabalho da Comissão que fez a Reforma, mas ficou muita coisa indefinida, o que é uma pena, pois dá margem a contestações que podem, pelo menos neste início, confundir muito.
    Mas obrigado pela franqueza e pela atenção.

  26. João Mattar disse:

    Francisco, mas eu sou! A Reforma não está definitivamente aceita em Portugal, há problemas nas novas regras e, o principal, tenho muitas dúvidas se realmente isso era necessário.

  27. Marise disse:

    Por favor gostaria que me informasse o que significa a sigla cf em uma citação de autor. Ex. no final da citação está assim: (cf Soares, data, p.)

  28. João Mattar disse:

    Marise, significa compare, mas acaba sendo usada no sentido de confira.

  29. Marise disse:

    Obrigada pela rápida resposta, e aproveito para pedir sugestão de um bom livro de Metodologia Científica mais voltado para orientações de Trabalhos de Conclusão de Curso para as ciências exatas (Sistemas de Informação). Um bom Natal para todos, com muitas alegrias!

  30. João Mattar disse:

    Marise, não me vem à cabeça um livro voltado especificamente para orientação de TCCs de exatas, mas o meu livro de Metodologia trata muito de temas de exatas: http://blog.joaomattar.com/metodologia-cientifica-na-era-da-informatica/

  31. Maria Isolina de Castro Soares disse:

    Professor, gostaria de tirar uma dúvida: se eu citar um autor cuja obra foi publicada antes da última reforma ortográfica, devo manter a grafia como aparece no texto ou posso, por exemplo, tirar o trema, o acento agudo dos ditongos…?
    Obrigada pela atenção.

  32. João Mattar disse:

    Boa pergunta, Maria, isso na verdade vale para obras antigas, escritas com a ortografia mais antiga. Eu costumo manter, acho sempre mais adequado, mas quando passa por revisão em editoras, eles sempre adaptam para a nova ortografia. Penso que se deve manter o nome pois é o título da obra, publicado, catalogado etc. Se sair uma nova edição, aí sairá com a nova norma, mas enquanto isso, eu prefiro manter o título original.

  33. Maria Isolina de Castro Soares disse:

    Obrigada, professor, pela atenção. Agora já sei onde tirar minhas dúvidas. Até a próxima.

  34. pablo miranda disse:

    ola professor gostaria de saber como eu coloco uma citacao de citacao de endereco eletronico em monografia?

  35. João Mattar disse:

    Pablo, me explique um pouco melhor, por favor. Citação de citação deve sempre ter o apud entre o texto original e o texto de onde você tirou a citação. No resto, use as orientações normais da ABNT.

  36. Ariana Ueda disse:

    Olá,

    Li suas orientações sobre citação de aula. Gostaria de saber se há a necessidade de colocar a data na referencia, não pd ser só o mês. É que acabei sintetizando algumas falas da professora, mas são sobre 2 aulas.

    Obrigada,

    Ariana

  37. João Mattar disse:

    Ariana, entendo que você quer indicar síntes de 2 aulas que assistiu. Na referência, eu colocaria, simulando:

    SANTOS, Márcia. Aulas ministradas nos dias tal e tal, na universidade tal etc.

    Ou seja, o máximo de informações possíveis, se der coloque o dia das aulas.

    Agora, na citação, durante o texto, vale a regra geral: SOBRENOME, data e página.

    Como não terá página, então SOBRENOME, data.

    A data você vai usar a que indicou na referência. Se só indicou o mês, vai indicar o mês na referência. Se indicou o dia, o dia. etc.

    Ou seja, como em todos os casos, uma coisa é o que vai na bibliografia, a informação mais completa. Outra, o que vai na referência da citação, a informação mais resumida possível, com os dados acima.

  38. Maristela disse:

    Professor, ainda tenho dúvidas sobre “citações on line”
    Ao fazer uma citação retirada de um artigo, porém esta for de um outro autor…
    como devo colocá-la dentro dentro do meu texto? E nas referências???????

  39. João Mattar disse:

    Maristela, quando é de outro autor, você deve indicar o nome do principal seguido de Apud (e então os dados do artigo que você leu, onde a citação aparecia).

  40. Marlyane disse:

    Professor gostaria saber se é possível abordar um trabalho com 2 populações, porém sem o intuito de comparar.Para o senhor entender melhor vou explicar as minhas pretensões. Quero realizar uma pesquisa abordando o conhecimento e a prática do enfermeiro sobre Processo de Enfermagem na Atenção Básica, como é para um projeto de pesquisa pro mestrado a minha orientadora achou pobre, foi a partir daí que decidi abordar o conhecimento e a pratica do enfermeiro sobre o Processo de enfermagem e realizar um estudo de caso como subsídio para ação-reflexão. Neste caso fiquei na dúvidaa com relação a metodologia, devo explicar na metodologia que o trabalho sera realizado em 2 etapas, isso é possível??????? ou melhor em 3 etapas pq após a coleta de dados com os enfermeiros, partirei para a aplicação do processo em um paciente ou grupo e depois darei feedback aos enfermeiros divulgando os resultados da segunda etapa.

  41. Bruno Lima disse:

    Parabéns pelo post Professor, muito bom!

    Minha dúvida é a seguinte:

    Na revisão bibliográfica do meu TCC eu utilizo em determinadas seções basicamente a mesma referência, como slides de aula sobre aquele assunto, ou os slides de um curso que fiz…

    No caso de uma seção inteira baseada no mesmo grupo de slides, como proceder para fazer a citação?

    A propósito, como citar slides de um curso que fiz? E normas ASTM e SAE?

    Obrigado!

  42. João Mattar disse:

    Você pode fazer uma menção no começo da seção, dizendo que boa parte dela está baseada na referência tal.

    Os slides devem ter um autor, então você deve indicar primeiro o autor, depois o título dos slides, depois informações adicionais (como em que curso foram aplicados, quando, se estão disponíveis online etc.). Quanto às normas, procure seguir as orientações da ABNT para normas em geral.

  43. Lisa Rêgo disse:

    Olá, parabéns e obrigada pelo trabalho desenvolvido.
    Estou iniciando meu trabalho de TCC, e tenho dúvidas quanto a possibilidade de executar um estudo em que será aplicado um treino, já utilizado em solo para ganho de força e trofismo muscular, no meio aquático, para relatar quais suas respostas neste meio. Minha dúvida é, será interessante ou até mesmo importante, que este treino seja aplicado a um grupo multietário.

  44. João Mattar disse:

    Lisa, há certa liberdade para você definir os detalhes e a metodologia do seu estudo. Penso que o importante é você checar isso com o seu Departamento, com o orientador ou professor da disciplina de TCC (se houver) etc., para então definir como fará a pesquisa. Se você escolher uma faixa etária específica, isso deve estar claro no trabalho e ser considerado nos resultados. Para TCCs, não é aconselhável que as amostras sejam muito amplas, então é interessante que haja algum foco, mas sempre com a orientação dos professores responsáveis. Boa sorte!

  45. sheila rafaela veiga disse:

    sou aluna do curso de fisioterapia ,e estou com uma dificuldade enorme de fazr m trabalho em metodologia cientifica pesquisa e tipos de pesquisa ,,,,, 5 quesoes objetivas

  46. Raphaela Silva disse:

    Boa tarde Professor!

    Preciso saber como elaborar uma citação de aula (aulas assistidas, Palestras, Congressos, Seminário) Como fazer uma citação de aula Ministrada?

    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>