A Evolução das Tecnologias da Aprendizagem

The Evolution of Learning Technologies
The Evolution of Learning Technologies | Open Colleges

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar
Publicado em Educação, Informática | Deixar um comentário

Aprendizagem Experiencial

O livro Teaching in a Digital Age do Tony Bates traz uma série de links interessantes sobre aprendizagem experiencial que juntei aqui, mas vou atualizando o post dinamicamente com mais materiais.


* Association for Experiential Education

* Experiential Learning (Centre for Teaching Excellence – University of Waterloo)

* Best Practices in Experiential Learning (The Learning Teaching Office – Ryerson University)

Publicado em Educação | Deixar um comentário

Online Trends and Advanced Tools

Estou cursando o Módulo Online Trends and Advanced Tools, o sexto (de sete) do curso Online, Hybrid and Blended Education. Nas próximas semanas, portanto, vou atualizar este post dinamicamente.

Screen Capturing Software
Adobe Captivate
Articulate Storyline
Michael. (2012). Articulate Storyline vs. Adobe Captivate.
Camtasia Studio
Schoen, M. (2011). Camtasia, Articulate or Captivate: Which is best for Video Tutorials and Training.
Jing
ScreencastOMatic
Screenr

Voice Recording Software
Audacity
Garageband ‘
iMovie’
Microsoft PowerPoint
Windows Moviemaker

Video Storage Software
Dailymotion
Schooltube
ScreenCast.com
Teachertube
Youtube
Vimeo

Oztok, M., Zingaro, D., Brett, C., & Hewitt, J. (2013). Exploring asynchronous and synchronous tool use in online courses. Computers & Education, 60(1), 87-94.

Asynchronous Tools
Blogs
Facebook
Google Drive
Twitter
HootCourse (agregador de blogs)
VoiceThread (pode-se usar comentários por voz)
Websites
Wikis

Synchronous Tools
Chat Rooms (Chatzy, TodaysMeet)
Virtual White Boards (Twiddla, Vyew))
Phone and/or Video Conferencing (ooVoo)
Instant Messaging
Application Sharing (TitanPad)
Web Conferencing Systems

Ferramentas para Social Bookmarking
Curate
Diigo
Delicious
Evernote
LiveBinders
MentorMob
Scoop.it!

Vincent, T. (n.d.) Ways to evaluate educational apps. Learning in Hand.

Apps in Education
Duolingo
Edmodo
Evernote
Explain Everything / Screenchomp
Khan Academy
Knowmia
Nearpod
Remind101
Socrative
Springpad
TeacherKit

Publicado em EaD, Educação | Deixar um comentário

Systematic Literature Review

This is a suggestion of steps for a systematic literature review:

a) define the research subject, question, objectives, methodology and other general aspects;
b) define the academic databases that will be used for the search, such a Google Scholar;
c) define the queries (search words or expressions) that will be used on the search;
d) define (before and while the search is going on) inclusion and exclusion criteria (such as dates, areas, terms, age etc.)
e) run the first searches to determine if there are many or few returns and though refine the queries;
f) select or exclude texts based on reading the titles and abstracts;
g) read the texts to confirm selection and start writing about the texts;
h) categorize the texts;
i) analyze and interpret the texts;
j) write the review.

These are not rigid steps, that is to say, you can overlap some of these phases or even change its order, besides introducing other strategies, but they give a general sense of what a systematic literature review should look like.

It is also important to state that you can review literature in at least four aspects of your paper:

a) methodology;
b) general theoretical references;
c) historical aspects of the subject (valid only in some types of research);
d) state of the art: people who are doing similar researches as your proposal.

Sometimes researchers believe that by doing a theoretical review, the other reviews are automatically done, but this is not true. It is really important that your paper includes these different types of literature review.

Publicado em Metodologia | Deixar um comentário

Content Design

Estou cursando o Módulo Content Design, o quinto do curso Online, Hybrid and Blended Education. Nas próximas semanas, portanto, vou atualizar este post dinamicamente.

Introdução ao Design Instrucional

Culatta, R. (2013). ADDIE Model. (no final diz que o documento é cortesia da Wikipédia!!)

Dick, W., Carey, L., & Carey, J. O. (2009). The systematic design of instruction (7th ed.). Upper Saddle River, NJ: Pearson Education Inc.

Gustafson, K. L., & Branch, R. M. (2002). Survey of instructional development models (4th ed.). Syracuse, NY: ERIC Clearinghouse on Information and Technology.

Dupin-Bryant, P. A., & DuCharme-Hansen, B. A. (2005). Assessing student needs in web-based distance education. International Journal of Instructional Technology & Distance Learning, 2(1).
Interessante artigo que propõe a avaliação das necessidades dos estudantes em 5 áreas: Computer skills, Learning styles, Available resources, Learner’s desired outcomes e Prior learning experiences. O processo de análise é dividido em fases: Define the purpose, Choose the assessment methods, Develop a timeline for data collection, Conduct the student needs assessment, Analyze the data e Match student needs with the learning environment. Por fim, sugere: “The final and most important step in the needs assessment process is to match student needs with course strategies, methods, and activities that will facilitate learning in the web-based environment.”

Texas Tech University. (n.d.). Writing and assessing course-level student learning outcomes.
Longo texto, com exemplos e bibliografia, sobre elaboração e análise de objetivos de aprendizagem.

Watkins, R. (2008). Needs = gaps in results.
Um site com inúmeros recursos e fontes sobre análise de necessidades.

Design

Marzano Research Laboratory. (2009). Research strategies.

Strickland, A. W. (n.d.). ADDIE.

Ferlazzo, L. (2009). The best resources for helping teachers use Bloom’s taxonomy in the classroom.
Uma lista extensa sobre o uso da taxonomia de Bloom em educação.

Iowa State University. (2009). A model of learning objectives
Muito legal, blocos interativos da Taxonomia de Bloom revisada: conforme você clica nos blocos, surgem os objetivos de aprendizagem. E há também vários outros recursos descritos na página.

Overbaugh, R. C. & Schults, L. (n.d.). Bloom’s taxonomy.

Clemson University. (n.d.). Bloom’s taxonomy action verbs
Quadro interativo da taxonomia de Bloom com links para vários verbos.

The Learning Manager. (n.d). Developing clear learning outcomes and objectives.
Um texto com orientações para a elaboração de objetivos de aprendizagem claros.

Pinellas School District, & Florida Center for Instructional Technology of the University of South Florida. (n.d.a). Classroom assessment: Constructed response.
Dicas para elaboração de diferentes tipos de questões.

Development

Nagy, J., & Fawcett, S. (2013). Developing an action plan.
Um breve capítulo com orientações sobre como desenvolver um Plano de Ação.
Parte da Community Tool Box – recurso gratuito da University of Kansas para aqueles que trabalham para construir comunidades mais saudáveis e gerar mudança social. Aqui 46 capítulos de temas diversos, mas há outras ferramentas no site.

Scivally, A. (2012). Ten online training do’s and don’ts.
Post com sugestões sobre o que fazer (e não fazer) no desenvolvimento de treinamentos online.

Fougere, N. (2009). Top 6 tips on course design from an instructional designer.
Brevíssimas dicas de um Designer Instrucional sobre design de cursos.

Kirk, K. (2013). Tips for designing online courses.
Dicas para desenvover cursos online com vários links, referências e recursos
Karin Kirk, Science Education Resource Center, Carleton College

Las Positas College. Best practices in designing online courses. Retrieved from

http://lpc1.clpccd.cc.ca.us/lpc/blackboard/best_practices/

Publicado em EaD, LIU Certificate in Online Hybrid Blended Education | Deixar um comentário

Metodologias Ativas

Este é um post em construção que se propõe a categorizar, exemplificar e indicar fontes para diferentes tipos de metodologias ativas de ensino, que convidam os alunos a uma posição de maior responsabilidade na condução de seu processo de aprendizagem, promovendo assim sua autonomia. Pode-se dizer que a proposta de learning-by-doing representa, ao menos em parte, o que se concebe como metodologias ativas.

Talvez seja importante distinguir metodologias, em um sentido mais amplo, de técnicas, em um sentido mais pontual.

Exemplos a serem explorados:

Game-based learning – aprendizagem baseada em games
Tomado aqui em um sentido amplo, inclui o uso de mundos virtuais e simulações. Modelagem de processos e sistemas talvez possa ser classificada separadamente.

Case Studies – Estudos de Caso
Podem envolver debates e discussões.

PBL – Problem-based Learning – aprendizagem baseada em
problemas

Pode envolver brainstorm, debates e discussões.
A aprendizagem baseada em problemas pode utilizar cases, mas convém classificar as duas metodologias separadamente.
O artigo Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica sugere etapas da aplicação da ABProb.

PBL – Project-based Learning – aprendizagem baseada em projetos
É interessante notar que como projetos podem ser bastante amplos, podem incorporar, em seus processos, diversas outras metodologias ativas.
Pode-se pensar em diferentes tipos de projeto:

- Projeto construtivo: tem em vista construir algo novo, introduzindo alguma inovação, propor uma solução nova para um problema ou situação. Possui a dimensão da inventividade, seja na função, na forma ou no processo.
– Projeto investigativo: destina-se ao desenvolvimento de pesquisa sobre uma questão ou situação, mediante o emprego do método científico.
– Projeto didático (ou explicativo): procura responder questões do
tipo: “Como funciona? Para que serve? Como foi construído?” Busca
explicar, ilustrar, revelar os princípios científicos de funcionamento de
objetos, mecanismos, sistemas etc.
(Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica)

Confirma uma imagem com diferenças sugeridas entre os dois tipos de PBL:


Fonte: Project-Based Learning vs. Problem-Based Learning vs. X-BL

Há também uma comparação em Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica.

Provavelmente mais adequadamente classificados como técnicas estariam:

  • Seminários

  • Um eixo possível de categorização, que talvez possa ser concebido separadamente das metodologias e técnicas, é o de atividades individuais, em pequenos grupos e em grandes grupos.

    Importante ressaltar a importância do alinhamento entre os objetivos de aprendizagem, as metodologias de aprendizagem e atividades propostas, e os instrumentos e estratégias de avaliação.

    Publicado em Educação | Deixar um comentário

    ePortfólios 2015/2

    Esta é a lista de e-Portfólios apresentados no curso Inovação em Tecnologias Educacionais da Universidade Anhembi Morumbi no 2 semestre de 2015. Confira aqui os ePortfólios apresentados em 2014/2 e 2015/1.

    DANIELLA DO VAL PINHO

    EDILENE LIMA DA SILVA

    GILBERTO FREIRE BIASOTO

    KARIN REGINA DA ROCHA COSTA

    LEANDRO CARLOS DA SILVA

    MELODY PABLOS SOUZA

    PAULO FERNANDO JANUARIO

    Publicado em EaD, Educação | Deixar um comentário

    Tecnologias da Aprendizagem

    Participei hoje da Oficina Tecnologias da Aprendizagem na Universidade Anhembi Morumbi.

    Algumas sugestões de ferramentas.

    Padlet – um mural em branco que pode ser utilizado pelos alunos, sem necessidade de login, por exemplo para um brainstorm, uma aula inaugural etc.

    emaze – prepara apresentações dinâmicas, como alternativa ao Powerpoint. Você pode também importar e exportar arquivos de powerpoint.

    PowToon – produz animações legais muito rapidamente. A curva de aprendizagem é muito simples.

    Socrative – testes, avaliações e competições. Ferramenta ótima para utilizar em dispositivos móveis, incluindo celulares.

    Presentation Skill – isso não fez parte da oficina, mas é uma estratégia pedagógica da Laureate – orientar os alunos no desenvolvimento de apresentações orais.

    Publicado em Informática | 1 comentário

    Online Engagement and Feedback

    Estou cursando o Módulo Online Engagement and Feedback do LIU Certificate of Education Online, Hybrid and Blended Education.

    Listo aqui alguns recursos apresentados no curso.

    Miller, M. (2012, January 18). Tame the beast: Tips for designing and using rubrics. Edutopia.
    Curto post da Edutopia com algumas dicas para o uso de rubricas.

    Moodle. Scales.
    Apresentação do uso do recurso de Scales do Moodle.

    Felder, R. (n.d.). Student-centered teaching and learning. (n.d.).
    Uma revisão bibliográfica com muitas indicações de leitura sobre o tema.

    The European Students’ Union, & Education International. (2010). Student-centered learning: Toolkit for students, staff and higher education institutions.
    Uma publicação longa e rica sobre o tema.

    Sull, E. C. (2009, November 10). Taking a learner-centered approach in online courses.
    Um curto post do Faculty Focus sobre o tema.

    Apps in Education (blog).

    Edudemic: connecting education and technology (blog).

    Publicado em EaD | 1 comentário

    Linguagens de Programação

    What Code Should You Learn? - Via Who Is Hosting This: The Blog

    Source: WhoIsHostingThis.com

    Publicado em Informática | Deixar um comentário