II ENCONTRO DE GRUPOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, TECNOLOGIAS E DESIGN

21/09/2018 – 14:00-18:00
Local: Sala 638 – PPGE/UFSC – Campus Trindade – Florianópolis
Bloco A do CED

Este Encontro tem como objetivo dar continuidade a atividades de parceria que têm sido desenvolvidas entre três grupos de pesquisa de instituições de ensino superior de três estados do Brasil, que têm interesses em comum:

Edumídia — Educação, Comunicação e Mídias do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Coordenadoras: Dra. Dulce Márcia Cruz e Dra. Daniela Karine Ramos.

GT de Educação a Distância do Programa de Pós-Graduação em Educação e Novas Tecnologias (PPGENT) do Centro Universitário Internacional Uninter. Coordenadores: Dr. João Mattar e Dra. Siderly do Carmo Dahle de Almeida.

GPTEd — Grupo de Pesquisa em Tecnologias Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (TIDD) da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC–SP).
Coordenadores: Dra. Ana Maria Di Grado Hessel, Dr. Cláudio André e Dr. João Mattar.

O I Encontro foi realizado na Uninter (Curitiba) em 13/07/2018.

Programação

14:00 – 14:15 – Abertura. Dulce Márcia Cruz (UFSC), Daniela Karine Ramos (UFSC) e João Mattar (Uninter & PUC-SP).

14:15 – 15:15 – Pesquisas Qualitativas

Escritas de Si e do Mundo: a polifonia escolar na comunidade narrativa da sala de aula (UFSC)
Doutoranda: Cristiane Guimarães – Orientadora: Dulce Márcia Cruz

Narrativas, Autobiografia e Formação de Educadores (UFSC)
Doutorando: Lauro Roberto Lostada – Orientadora: Dulce Márcia Cruz

15:15 – 16:15 – Pesquisas Quali-Quanti

Formação continuada à distância e atuação profissional dos egressos: um estudo sobre o Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares (UFSC)
Mestre: Fabiana Lopes Ribeiro – Orientadora: Daniela K. Ramos

O uso dos jogos digitais para o aprimoramento do controle inibitório (UFSC)
Mestre: Fernanda Garcia – Orientadora: Daniela K. Ramos

Letramento na cultura digital: perfil midiático das/os estudantes de licenciatura presencial e a distância (UFSC)
Doutorando: Klalter Bez Fontana Arndt – Orientadora: Dulce Márcia Cruz

16:15 – 16:45 – Intervalo

16:45 – 17:45 – Games

A gamificação de uma disciplina de um curso de graduação em Pedagogia (Uninter)
Mestranda: Ingrid Gayer Pessi – Orientador: João Mattar

Jogos digitais, funções executivas e velocidade de processamento: intervenções no ensino fundamental (UFSC)
Mestranda: Vanessa Raquel Cardoso – Orientador: Daniela Karine Ramos

Desenvolvimento de um game para o diagnóstico de habilidades e competências necessárias à resolução das questões de conhecimentos gerais da prova do ENADE (PUC-SP)
Doutoranda: Viviane Marques Goi – Orientador: João Mattar

17:45 – 18:00 – Encerramento. Dulce Márcia Cruz (UFSC), Daniela Karine Ramos (UFSC) e João Mattar (Uninter & PUC-SP).

O Encontro é gratuito e aberto a todos os interessados. Os participantes receberão Certificado de Participação emitido pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Inscreva-se grauitamente neste link.

As inscrições também podem ser realizadas no próprio evento.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar
Publicado em Educação, Games | Deixar um comentário

Educational Technology – Boise State University

A Boise State University (Idaho, Estados Unidos) é acreditada regionalmente pela
Northwest Commission on Colleges and Universities (NWCCU). Importante notar que as acreditações para todas as universidades nos Estados Unidos são realizadas por comissões regionais; assim, um diploma obtido em uma faculdade ou universidade credenciada por uma comissão regional é válido em qualquer lugar nos EUA ou mesmo no mundo. Além disso, a Faculdade de Educação da Boise State University passa por uma revisão rigorosa do CAEP (Council for the Accreditation of Teacher Preparation) a cada sete anos. Em Tecnologia Educacional, o programa adere aos padrões estabelecidos por dois órgãos renomados: Association for Educational Communications and Technology (AECT) e International Society for Technology in Education (ISTE).

A instituição oferece 2 Mestrados e 1 Doutorado totalmente online em Tecnologia Educacional (Educational Technology). São as seguintes as opções:

Master of Educational Technology (M.E.T.) (Mestrado) – os alunos apresentam como trabalho de conclusão de curso uma eportfólio, que é avaliado por uma banca assincronamente. O e-portfólio deve incluir os principais artefatos desenvolvidos durante o curso, uma reflexão sobre o processo de produção desses artefatos, uma reflexão sobre o processo de aprendizagem nas disciplinas e uma reflexão sobre o processo de aprendizagem geral no curso. O e-portfólio é apresentado em uma plataforma online e inclui também um vídeo e um texto de apresentação.

Master of Science in Educational Technology (M.S.E.T.) (Mestrado) – os alunos defendem online, oralmente e sincronamente uma dissertação para uma banca.

EdD in Educational Technology (Doutorado)
O foco do EdD (Doctor in Education) é preparar candidatos para a prática profissional e a pesquisa aplicada, em comparação com o PhD (Doctor of Philosophy), cujo foco principal é preparar pesquisadores.
O Doutorado Online em Tecnologia Educacional da Boise explora o uso de tecnologias atuais e emergentes para ensino e aprendizado online, integração de tecnologias, liderança acadêmica em tecnologia, ensino inovador em educação básica e superior, desenvolvimento de software educacional para a web, plataformas móveis, jogos e simulações educacionais.
O programa é oferecido totalmente online, tanto as disciplinas quanto as avaliações, com alguns momentos de interação síncrona.
São admitidos anualmente entre 12 e 15 alunos.
Valor para 6 créditos (1 quarter): US$ $2,856.00
Total de créditos do programa: 66, sendo que até a metade (33 créditos) podem ser obtidos antes da admissão ao programa, por exemplo em um Mestrado.
5 disciplinas (15 créditos) de fundamentação são obrigatórias:
EDTECH 601 DOCTORAL STUDIES ORIENTATION (deve ser cursada no primeiro semestre)
EDTECH 602 EMERGING TRENDS IN EDUCATIONAL TECHNOLOGY
EDTECH 603 GLOBAL AND CULTURAL PERSPECTIVES IN EDUCATIONAL TECHNOLOGY
EDTECH 604 LEADERSHIP IN EDUCATIONAL TECHNOLOGY
EDTECH 605 PROJECT MANAGEMENT IN EDUCATIONAL SETTINGS
4 disciplinas (12 créditos) de pesquisa são obrigatórias:
EDTECH 650 RESEARCH IN EDUCATIONAL TECHNOLOGY
EDTECH 651 INTRODUCTION TO STATISTICS FOR EDUCATIONAL TECHNOLOGY
EDTECH 652 QUANTITATIVE RESEARCH METHODS
EDTECH 653 QUALITATIVE RESEARCH METHODS
O aluno deve escolher 1 disciplina (3 créditos) eletiva em pesquisa, dentre:
EDTECH 662 ADVANCED QUANTITATIVE RESEARCH METHODS
EDTECH 663 ADVANCED QUALITATIVE RESEARCH METHODS
EDTECH 671 DATA MINING RESEARCH METHODS FOR EDUCATION
EDTECH 672 DESIGN-BASED RESEARCH
1 disciplina (3 créditos) obrigatória de experiência inovadora deve ser cursada:
EDTECH 640 INNOVATIVE PRACTICES IN EDUCATIONAL TECHNOLOGY
3 disciplinas (9 créditos) devem ser cursadas como EDTECH COGNATE, na área de concentração do aluno, dentre todas as oferecidas pela instituição (podendo ser validadas com créditos cursados em outras instituições).
4 disciplinas (12 créditos) devem ser cursadas como eletivas, dentre todas as oferecidas pela instituição (podendo ser validadas com créditos cursados em outras instituições).
1 crédito deve ser cursado como COMPREHENSIVE EXAMINATION (correspondente a nossa banca de qualificação).
11 créditos devem ser cursados como orientação para a tese, que deve ser defendida oralmente (a distância), com o conceito aprovado ou reprovado.

Publicado em Boise, EaD, Educação | Deixar um comentário

CIAED 2018

Programação temporária das minhas atividades no Congresso Internacional ABED de Educação a Distância (CIAED) 2018.

Apresentações Orais

Data apresentação: 04/10/2018
Hora apresentação: 15h10 – 15h25
Sala apresentação: Cacupe
ID: 8643 (Apresentação Oral)
INTERAÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NO SEMIPRESENCIAL: UM ESTUDO SOBRE A OPERACIONALIZAÇÃO DA RESOLUÇÃO 1134/2016
Nathalia Savione Machado – UNINTER/UFPR
João Mattar – Uninter/PUC-SP
Dinamara Pereira Machado – UNINTER

Data apresentação: 04/10/2018
Hora apresentação: 13h30 – 13h45
Sala apresentação: Concierge
ID: 8536 (Apresentação Oral)
O USO DE BADGES PARA PROMOVER A MOTIVAÇÃO E O ENGAJAMENTO DE DISCENTES NA DISCIPLINA ONLINE DE METODOLOGIA DA PESQUISA DO ENSINO SUPERIOR
Patrícia da Silva Tristão – Centro Universitário Internacional – UNINTER
João Mattar – Centro Universitário Internacional – UNINTER – Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias – Curitiba e PUC – SP
Eduardo Stumpf – FAE – Centro Universitário
Alvino Moser – Centro Universitário Internacional – UNINTER

Data apresentação: 05/10/2018
Hora apresentação: 14h50 – 15h05
Sala apresentação: Cacupe
ID: 8438 (Apresentação Oral)
O PAPEL DO TUTOR NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DO ALUNO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
Ingrid Gayer Pessi – Centro Universitário Internacional Uninter
João Mattar – Centro Universitário Internacional Uninter

Pôsteres

Data apresentação: 05/10/2018
Hora apresentação: 18:00-18:30
ID: 8817 (Apresentação na Sessão Pôster)
A UTILIZAÇÃO DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE NA RETENÇÃO DE ALUNOS NOS CURSOS DE ENSINO A DISTÂNCIA
Alcimar Roberto Kowalski – UNINTER
João Mattar – UNINTER/PUC–SP
Lílian Soares Alves Branco – UNILASALLE

Data apresentação: 03/10/2018
Hora apresentação: 15:30-16:00
ID: 8695 (Apresentação na Sessão Pôster)
INVESTIGANDO AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES EM SERVIÇO NO ENSINO SUPERIOR COM ATUAÇÃO NA MODALIDADE EAD – SEMIPRESENCIAL
Mariane Regina Kraviski – UNINTER
Dinamara Pereira Machado – UNINTER
João Mattar – UNINTER

Data apresentação: 03/10/2018
Hora apresentação: 18:00-18:30
ID: 5800 (Apresentação na Sessão Pôster)
OFICINAS PEDAGÓGICAS NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SOB A PERSPECTIVA DISCENTE: UM ESTUDO DAS LICENCIATURAS PEDAGOGIA E LETRAS
Neide Aparecida Arruda de Oliveira – UNIFATEA
Maria Cristina Marcelino Bento – UNIFATEA
Luciani Vieira Gomes Alvareli – UNIFATEA João Mattar Neto – PUC São Paulo e UNINTER

Mesa Redonda

MR 23 Dia 05/10/2018 – Sexta 16:00 – 18:00 Sala Ribeirão
MR 23 – Modelos Híbridos e Online em Transformação Ementa: Apresentação e discussão de modelos Híbridos e online interessantes e desafiadores, que oferecem soluções úteis para diversos tipos de alunos tanto de ponto de visto pedagógico como tecnológico. Debate aspectos convergentes da nova regulação da EaD do ponto de vista da institucionalização desses modelos.
João Mattar – UNINTER (Coordenação)
Jose Manuel Moran Costas – USP (Participante)
Enilton Ferreira Rocha – WR3EAD (Participante)
Janes Fidelis Tomelin – UNICESUMAR (Participante)

Publicado em EaD | Deixar um comentário

Acessos a artigos

Estes sites dão acesso a artigos publicados em periódicos e outras fontes úteis para pesquisas acadêmicas.

Library Genesis / LibGen – mais informações aqui.

Sci-Hub

Publicado em Metodologia, Pesquisa | Deixar um comentário

INTRO TO COMPUTER SCIENCE I (CS 161)

Registrei neste blog diversos percursos de estudo. Começo agora mais um, uma graduação em Computer Science na Oregon State University. Neste post cubro o material e as atividades da primeira disciplina, CS 161 – Introduction to Computer Science I.

Alguns links:
cplusplus.com/ – site com dicas para programação em C++
C++ Programming Tutorials Playlist no YouTube
Cprogramming.com – tutoriais de programação em C++
LearnCpp.com – site de programação em C++
Teach Yourself C++ in 21 Days 2nd ed

Publicado em CS 161, CS Oregon | Deixar um comentário

Conhecimentos Docentes

“Se o conhecimento docente fosse organizado em um manual, uma enciclopédia ou algum outro formato de sistematização do conhecimento, como seriam os títulos das categorias? No mínimo, incluiriam:

— conhecimento do conteúdo;

— conhecimento pedagógico geral, com referência especial àqueles princípios e estratégias amplos de gestão e organização da sala de aula que parecem transcender o conteúdo;

— conhecimento curricular, com compreensão específica dos materiais e programas que servem como “ferramentas de ofício” para os professores;

— conhecimento pedagógico do conteúdo, esse amálgama especial de conteúdo e pedagogia, que o domínio exclusivo dos professores, sua própria forma especial de compreensão profissional;

— conhecimento dos alunos e de suas características;

— conhecimento dos contextos educacionais, desde o funcionamento do grupos ou das salas de aula, a governança e o financiamento dos distritos escolares, até as características das comunidades e das culturas; e

— conhecimento dos objetivos, propósitos e valores educacionais e seus fundamentos filosóficos e históricos.

Entre essas categorias, o conhecimento pedagógico do conteúdo reveste-se de interesse especial, pois identifica os campos de conhecimento específicos do ensino. Representa a mistura de conteúdo e pedagogia em uma compreensão de como determinados tópicos, problemas ou questões são organizados, representados e adaptados aos interesses e habilidades diversificados dos alunos, e apresentados para o ensino. O conhecimento pedagógico do conteúdo é a categoria mais apropriada para distinguir a compreensão do especialista em conteúdo da compreensão do pedagogo.” (SHULMAN, 1987, p. 8, trad. João Mattar)

SHULHMAN, L. Knowledge and teaching: Foundations of the new reform. Harvard Educational Review, v. 57, n. 1, 1–23, 1987.

Publicado em Educação | 1 comentário

Ética na Pesquisa

O Sistema CEP/CONEP é formado por Comitês de Ética em Pesquisa (CEP) e pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). Foi instituído em 1996 para proceder a análise ética de projetos de pesquisa envolvendo seres humanos no Brasil. Este processo é baseado em uma série de resoluções e normativas deliberados pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), órgão vinculado ao Ministério da Saúde. O atual sistema possui como fundamentos o controle social, exercido pela ligação com o CNS, capilaridade, na qual mais de 98% das análises e decisões ocorrem a nível local pelo trabalho dos comitês de ética em pesquisa (CEP) e o foco na segurança, proteção e garantia dos direitos dos participantes de pesquisa. A maioria dos processos relacionados à análise ética ocorre em ambiente eletrônico por meio da ferramenta eletrônica chamada Plataforma Brasil, que traz diversas orientações e documentos sobre os procedimentos para solicitar autorização para a realização de pesquisas. Este é um tutorial da versão 3.0 da Plataforma Brasil, mas há também no site diversos Manuais, além de históricos das versões, Cartas Circulares, Resoluções e Normativas. É também possível consultar no site os Comitês de Ética por região, estado e município, fazer buscas por pesquisas aprovadas ou confirmar aprovações.

Há um Manual de Orientações importante: Pendências frequentes em Protocolos de Pesquisa Clínica.

O Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) é o documento que, além de explicar os detalhes da pesquisa (justificativa, objetivos, procedimentos, desconfortos, riscos, benefícios, grupos de alocação, entre outros aspectos), também deve informar e assegurar os direitos dos participantes. O TCLE é o motivo mais frequente de pendências emitidas pela Conep, principalmente por redação inadequada do documento, informações insuficientes ou falha em assegurar os direitos dos participantes da pesquisa.

O TCLE deve ser conciso e de fácil compreensão por um indivíduo leigo. Não é desejável que o documento seja longo, com procedimentos excessivamente detalhados e com construções gramaticais complexas. Diversas pendências são geradas por causa da utilização de termos técnicos inacessíveis a um leigo ou traduções inapropriadas de termos e expressões de outra língua para o Português. As pendências mais frequentemente relacionadas à redação do TCLE estão descritas a seguir: utilizar linguagem inacessível, realizar tradução de forma inapropriada, redigir o TCLE no formato de declaração (o termo de consentimento é um documento que deve ser redigido no formato de convite; contudo, é aceitável que a parte final do TCLE, em que estão os campos de assinatura e na qual participante manifesta o seu desejo, esteja escrita como declaração), Empregar o termo “sujeito de pesquisa” (o correto é “participante de pesquisa”), adotar título inadequado no documento, omitir a informação acerca da liberdade de retirada do consentimento, omitir informação acerca do direito a ter uma via do TCLE, utilizar a palavra “CÓPIA” (o correto é VIA).

O TCLE deve trazer a garantia de que os dados que permitem a identificação do participante da pesquisa serão mantidos confidenciais a fim de preservar a privacidade e não provocar danos. O TCLE deve conter os meios de contato com o pesquisador responsável.

É frequente o TCLE não trazer informações do CEP e da Conep ao participante de pesquisa. Tais informações são relevantes porque o participante de pesquisa (ou seu responsável legal) pode querer entrar em contato com o CEP (ou com a Conep, quando for o caso) para esclarecimento de dúvidas, reclamar ou fazer denúncia

Crianças, adolescentes e pessoas incapazes “estão em situação de vulnerabilidade, isto é, não estão em condições de tomar decisões sozinhas ou podem sofrer influência na hora de decidir se querem ou não ser participantes de pesquisa. Nesses casos, os pais ou responsáveis legais dessas pessoas devem assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os participantes de pesquisa que se encaixam nessas situações têm o direito de serem informados sobre os procedimentos de que 3 vão participar, até onde forem capazes de entender, e não devem nunca ser forçados a aceitar. Para isso, pode ser apresentado a esses participantes um Termo de Assentimento, que se parece com um TCLE, mas é escrito conforme a capacidade de compreensão dos participantes.” (Cartilha do Participante em Pesquisa, ago. 2015).

Cronograma: não apresentar data de início do estudo anterior à tramitação no Sistema CEP/Conep, discriminar as etapas da pesquisa.

Dúvidas?
O site tem FAQs, local para enviar e-mail e fazer chat.
Telefone: 136, opção 8 e opção 9, solicitar ao atendente suporte Plataforma Brasil. Atendimento Telefônico de 08h às 20h, horário de Brasília de segunda a sexta.

Publicado em Pesquisa | 2 comentários

ASU Online

Hoje almocei com o professor Litto, presidente da ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância, e ele me sugeriu dar uma pesquisada em cursos online oferecidos pela Arizona State University. Os cursos online são oferecidos pela ASU Online.

Cá estou eu surfando na grande lista de cursos de graduação, pós-graduação lato sensu, MBAs, mestrados e doutorados online. Alguns que separei para olhar com mais calma:

Há duas graduações em Psicologia online: um BA (Bachelor of Arts) e um BS (Bachelor of Science). Os dois têm praticamente o mesmo número de disciplinas, mas é possível fazer o BA com mais rapidez do que o normal (Fast Track) e o BS tem um foco adicional em matemática e ciências. Eu me interesso há muito tempo pela estrutura e pelas características de cursos online de graduação em Psicologia, mesmo porque no Brasil não é permitido, pelo menos até agora.

Olha que curso de especialização genial:
Online Advanced Analytics in Higher Education Graduate Certificate
O curso tem 6 disciplinas:
HED 603: Foundation of Data Analytics in Higher Education
HED 604: Analytics Process and Technology in Higher Education
HED 605: Data Management and Preparation for Higher Ed Analytics
HED 606: Advanced Analytic Methods for Higher Ed
HED 607: Visualization and Presentation for Higher Ed
HED 608: Trends in Advanced Analytic Methods for Higher Education
e é um show de bola para preparar um profissional para apresentar as estratégias de analytics especificamente para a educação superior. Só não faço porque tenho algumas outras prioridades no momento.

Publicado em EaD, Educação | Deixar um comentário

Todo o Dinheiro do Mundo

Assisti hoje o filme baseado no livro de John Pearson e dirigido por Ridley Scott.

Eu não conhecia a história em detalhes, mas é impressionante a frieza do avô (J. Paul Getty, estrelado por Christopher Plummer) e o envolvimento da mãe (Gail Harris, estrelado por Michelle Williams) para resolver o sequestro do filho, John Paul Getty III (estrelado por Charlie Plummer), que tem parte de uma orelha decepada e enviada pelos sequestradores para apressar o pagamento do resgate.

Esta é uma foto da mãe chegando com o filho a um distrito policial em 1973.


Foto: Giuseppe Anastasi / AP

Publicado em Cinema | Deixar um comentário

Research Methods in Education

COHEN, Louis; MANION, Lawrence; MORRISON, Keith. Research methods in education. 7th ed. New York: Routledge, 2013. Resenha (em construção) de João Mattar.

Um livro que tem mais de 33.000 citações no Google Acadêmico e que aborda a metodologia da pesquisa especificamente no campo da educação.

Já há uma oitava edição que tem Companion Website, com arquivos de PowerPoint, materiais adicionais (incluindo exemplos, estudos de caso e links), arquivos para SPSS e NVivo e tabelas e figuras do livro para download. Alguns capítulos da 7. ed. foram excluídos.

PART 1: The context of educational research
1 The nature of enquiry: setting the field;
2 Mixed methods research; (não tem na 7. ed.)
3 Critical educational research;
4 Theory in educational research; (não tem na 7. ed.)
5 Evaluation and research;
6 The search for causation

PART 2: Research design
7 The ethics of educational and social research;
8 Ethics in Internet research; (não tem na 7. ed.)
9 Choosing a research project;
10 Research questions; (não tem na 7. ed.)
11 Research design and planning; (tem outro nome na 7. ed.)
12 Sampling;
13 Sensitive educational research;
14 Validity and reliability

PART 3: Methodologies for Educational Research
15 Qualitative, naturalistic and ethnographic research;
16 Historical and documentary research, Jane Martin;
17 Surveys, longitudinal, cross-sectional and trend studies;
18 Internet surveys; (não tem na 7. ed.)
19 Case studies;
20 Experiments;
21 Meta-analysis, systematic reviews and research syntheses, Harsh Suri;
22 Action research;
23 Virtual worlds, social network software and netography in educational research, Stewart Martin

PART 4: Methods of Data Collection
24 Questionnaires;

25 Interviews;
(resenha da 7. ed.)
Podem ser classificadas de diversas maneiras, como por exemplo em função da maior ou menor estrutura, se são mais qualitativas ou quantitativas, em relação aos seus objetivos, individuais ou em grupo etc.
Grupo focal é um tipo de entrevista em grupo, em que o entrevistador atua menos em perguntas e interação com o grupo, mas provoca a interação entre seus membros. O objetivo é que a visão dos participantes emerja. Para alguns autores, os membros do grupo devem ser desconhecidos entre si. Para os autores, apesar de virem sendo utilizadas com mais frequência em educação, ainda é uma estratégia menos utilizada do que em outras áreas.

26 Observation;
A observação participante requer que o pesquisador seja um membro empático e sensível de um grupo, para ter acesso aos comportamentos e às atividades por dentro, ao mesmo tempo em que atue como um pesquisador com um nível de distanciamento. Seria de alguma maneira esquizofrênico, pois tem que equilibrar participação para absorver a situação com distanciamento suficiente para observar e analisá-la.
Há níveis de participação, de participante total, participante como observador, observador como participante até observador total.

27 Tests;
28 Using secondary data in educational research; (não tem na 7. ed.)
29 Personal constructs, Richard Bell;
30 Role play and research, Carmel O’Sullivan;
31 Visual media in educational research

PART 5: Data Analysis and Reporting
32 Approaches to qualitative data analysis;
33 Organizing and presenting qualitative data;
34 Coding and content analysis;
35 Discourses: conversations, narratives and autobiographies as texts;
36 Analyzing visual media;
37 Grounded theory;
39 Statistical significance, effect size and statistical power; (não tem na 7. ed.)
40 Descriptive statistics;
41 Inferential statistics: difference tests; (na 7. ed. há apenas 1 cap. sobre Inferential statistics)
42 Inferential statistics: Regression analysis and standardization;
43 Factor analysis, cluster analysis and structural equation modelling;
44 Choosing a statistical test;
45 Beyond mixed methods: using Qualitative Comparative Analysis (QCA) to integrate cross-case and within-case analyses, Barry Cooper and Judith Glaesser (não tem na 7. ed.)

Publicado em Educação, Metodologia | Deixar um comentário