Notas de Rodapé em Artigos Científicos (ABNT)

Hoje uma aluna minha me fuzilou durante uma banca quando uma das examinadoras disse: “artigo científico não tem nota de rodapé, elas devem aparecer no final do texto”. Eu acompanhei o trabalho desenvolvido neste semestre pelo grupo do qual ela faz parte e deixei passar uma nota de rodapé no artigo!

As normas da ABNT não são leis, e portanto diferentes organizações podem definir normas próprias para a produção de artigos científicos, que devem então obviamente ser seguidas. Nas normas para artigos enviadas para congressos ou revistas científicas, muitas vezes realmente há indicação de que não devem ser utilizadas notas de rodapé. Aqui, procurarei esclarecer a dúvida em função das normas da ABNT.

Ao contrário do que muita gente acredita, existe uma norma da ABNT específica para artigos científicos:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6.022: informação e documentação: artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. Rio de Janeiro, maio 2003.

De acordo com a NBR 6.022, as notas explicativas realmente não devem aparecer no rodapé, mas no final do texto, após a conclusão e antes das referências. A NBR 6.022 define nota explicativa como: “nota usada para comentários, esclarecimentos ou explanações, que não possam ser incluídos no texto.” (p. 2)

Entretanto, a NBR 6.022 também prescreve que as citações em artigos científicos devem ser apresentadas conforme as orientações de outra norma:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10.520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, ago. 2002.

A NBR 10.520 define, além de notas explicativas (com as mesmas palavras da definição da NBR 6.022), dois outros tipos de notas:

Notas de referência: notas que indicam fontes consultadas ou remetem a outras partes da obra onde o assunto foi abordado.

Notas de rodapé: indicações, observações ou aditamentos ao texto feitos pelo autor, tradutor ou editor, podendo também aparecer na margem esquerda ou direita da mancha gráfica.

Nos exemplos da NBR 10.520, as notas explicativas aparecem em rodapé, mas como já vimos, no caso de artigos científicos devem aparecer no final do texto, após a conclusão e antes das referências, seguindo as orientações da NBR 6.022.

Entretanto, a NBR 10.520 possibilita ainda que outros tipos de notas, que não explicativas, apareçam em rodapé.

No caso de dados obtidos por informação verbal (palestras, debates, comunicações etc.) e na citação de trabalhos em fase de elaboração, após a citação deve-se indicar (informação verbal) ou (em fase de elaboração), e utilizar o rodapé para mencionar os dados disponíveis. Portanto, ligando-se as duas normas, é possível observar aqui uma indicação para o uso de notas de rodapé (que não seriam, nesses exemplos, explicativas) em artigos científicos.

Mas além disso, a NBR 10.520 indica também a possibilidade de utilizar notas de referência no rodapé, com vários exemplos.

Depois de tanta essa bagunça, é portanto possível concluir o seguinte, em função das orientações da ABNT:

1. Se você não utilizar notas explicativas no seu artigo científico, a ABNT possibilita a utilização de notas de referência no rodapé, assim orienta que apareçam no rodapé observações em relação a informação verbal e trabalhos em fase de elaboração. Essas informações, aliás, quando utilizadas no rodapé, facilitam a vida do leitor, que não precisa ficar virando páginas para encontrar as informações que deseja.

2. O problema surge se você utilizar notas explicativas no seu artigo científico.

2a. Uma opção seria colocar as notas de referência (se houver), incluindo as complementações dos exemplos de informação verbal e trabalhos em fase de elaboração (também se houver), juntas com as notas explicativas no final do artigo, após a conclusão e antes das referências, usando para isso um único sistema númerico de chamada. Ou seja, no final do texto, aparecerão juntas notas explicativas, notas de referências e outras notas cabíveis.

2b. Outra opção seria adotar 2 sistemas de chamada (com letras e números, ou algarismos romanos). Isso não está previsto na ABNT, mas não há nenhum impedimento nas normas para que você utilize um sistema de chamadas para as notas explicativas no final do artigo, e outro sistema de chamada para as notas de rodapé (já vi isso em inúmeros artigos).

Portanto, não me parece que seja correto afirmar que em artigos científicos não podemos utilizar notas de rodapé, pelo menos de acordo com a ABNT. Se não houver nenhuma orientação do evento, da instituição ou da revista para a qual você estiver produzindo seu artigo, sinta-se à vontade para usar notas de referência, ou não-explicativas, no rodapé.

Ufa, será que valeu para alguma coisa!?

Esta entrada foi publicada em Metodologia. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

25 respostas a Notas de Rodapé em Artigos Científicos (ABNT)

  1. João, com certeza valeu seu esforço para tentar explicar as normas, se bem que estamos vendo tanta coisa estranha por aí… cada instituição adotando modelos e modas…
    Mas, era uma banca de dissertação? E como fica então num texto de dissertação ou tese? Nota de rodapé ou nota no final do texto?

    Um abraço,
    Fernando Pimentel

  2. João Mattar disse:

    Fernando, na Anhembi adotamos a princípio as normas da ABNT, então temos que entendê-las bem. Era uma banca de Trabalho Interdisciplinar, todos os semestres os alunos, em grupos, apresentam Trabalhos Interdisciplinares nos cursos de Design, e neste semestre eles deviam escrever um artigo.
    Num TCC ou tese valem as notas explicativas em rodapé.

  3. É uma bizantinice perfeitamente discutível (excepto quando um burocrata determinar que “deve ser seguida esta norma e pronto”)… Pessoalmente, acho mais bonito só haver notas no fim, mas acho MUITO mais prático usar só notas de rodapé e nunca usar notas de fim… só quem não passa pelo tormento de andar a pular páginas (impressas) com o dedo a doer a marcar o fim do capítulo para ler as notas de fim, ou quem tem de andar a memorizar páginas para ir às notas de fim e voltar ao texto (digital) é que pode defender notas explicativas no fim… Ou quem prefere a estética à funcionalidade.

  4. Mateus Correia disse:

    Bom dia, professor! Formidáveis suas argumentações a respeito das notas de rodapé em artigos científicos. Como foram publicadas em dezembro de 2009, pergunto se elas ainda valem para o primeiro semestre de 2010 (provavelmente, sim, creio). Mas, na dúvida, gostaria de saber: será que já houve novidades/mudanças neste período. Obrigado!

  5. João Mattar disse:

    Está valendo, Mateus, não houve mudanças de lá para cá.

  6. Mateus Correia disse:

    Obrigado, professor! Só mais uma pergunta: as notas de rodapé do artigo científico tem de ser em fonte Arial, tamanho 8, ou podem ser na mesma fonte do artigo em tamanho 8? O que diz a ABNT? Aguardo resposta.

  7. João Mattar disse:

    Mateus, a ABNT fala apenas em “fonte menor”.

  8. Mateus Correia disse:

    Mais uma vez, obrigado pela assistência e gentileza, professor! Um abraço!

  9. MARIA AUXILIADORA DE PAULA GONÇALVES HOLANDA disse:

    O LUGAR DAS NOTAS DE RODAPÉ PODEM REPROVAR UMA ATIGO CIENTÍFICO PARA UM SEMINÁRIO?

  10. João Mattar disse:

    Maria, normalmente em artigos para congressos a orientação é que não se use notas de rodapé. Trabalhos formatados fora da norma podem sim levar um trabalho a ser desclassificado.

  11. Pingback: De Mattar » Blog Archive » NBR 6022: Artigo em publicação periódica: Apresentação.

  12. Paula Ugalde disse:

    Professor João Mattar!
    Agradeço as explicações! Buscava justamente isso.

    Gostaria de saber sua visão sobre as normas da ABNT no que tange a congruência com o momento atual, em que pesquisamos e utilizamos referencias digitais, hipertextos, incentivamos a autonomia, a autogestão, a criatividade e correlatos?
    Penso que se uma pesquisa tematiza tais poderia ser permitido novas apresentações. Como ve isso?
    Sei da necessidade de uma certa normatização mas considero as normas muito conservadoras e destoantes…
    Grande []!

  13. João Mattar disse:

    Paula, as normas obviamente estão desatualizadas. As últimas revisões chegaram a incluir referências a sites, mas praticamente morre por aí. Seria necessário atualizá-las mais rapidamente, mas o processo parece que é demorado. Além disso, elas são muito caras, deveriam (principalmente no caso das normas para produção de trabalhos acadêmicos) estar disponíveis online gratuitamente, para consulta de todos os interessados.

  14. Paula Ugalde disse:

    Agradeço novamente Prof. João Mattar!

    Achei q responderia por aí. Seria bom mesmo q fossem atualizadas e disponibilizadas online. Mas agora parece q voltaram a discutir aspectos do novo acordo… []s

  15. João Mattar disse:

    Paula, por aqui eu sempre respondo, assim como pelo Twitter e pelo Facebook! A cx de emails é que está ficando cada vez + difícil controlar!

  16. Mari disse:

    Professor adorei sua explicação, principalmente por trazer as NBR sobre notas explicativas ou de rodapés. Mas, particularmente prefiro elaborar ou ler textos com notas de rodapés, por achar que a leitura fica mais cômoda.

  17. Suri disse:

    Oi preciso d um esclarecimento. Vou falar no meu tcc sobre a estrutura das fábulas e sua contribuição na formação do leitor quero dicas de como conduzir est tema e q teoricos posso citar.

  18. João Mattar disse:

    Ich, Suri, você precisa fazer a pesquisa orientada por seu orientador e/ou um especialista na área. Essa não pe minha especialidade.

  19. Nábila disse:

    Será que vc poderia falar sobre a localização do número da nota?
    Sempre achei que fosse após a ideia explanada, mas recebi uma correção colocando tudo imediatamente após o nome do autor. Tem alguma norma específica para artigo?

  20. João Mattar disse:

    Nábila, a NBR 10520, sobre citações, apresenta as 2 formas – chamada após o nome/sobrenome do autor (antes da citação) ou no final da citação.

  21. Joel de Souza disse:

    Apresentei um artigo com uma nota de rodapé. Fui obrigado a reformatá-lo. Nada tenho a objetar com relação às regras, em homenagem à uniformidade e à estética, mas acho que tais regras deveriam se limitar ao mínimo indispensável. Já é tempo de nos libertarmos da opressão e da autocracia, pródigas em impor exigências inúteis a quem se propõe a estudar, pesquisar e mostrar o resultado do seu trabalho. Já nos basta a infernal burocracia a que estamos todos submetidos nesta nossa “pátria amada, idolatrada”, mas prenhe de leis anacrônicas.

  22. Alik Araújo disse:

    Como faço se quero fazer uma citação de uma nota de rodapé de um outro artigo ?

  23. Jônathas disse:

    Quais informações devo por em rodapé para uma informação verbal, pode dar um exemplo. Grato

  24. Newton C Braga disse:

    A ABNT, NBR 10.520, diz, com relação a notas de rodapé:
    6.2 Sistema numérico: Neste sistema…
    6.2.1 O sistema numérico não deve ser utilizado quando há notas de rodapé.
    6.2.2 A indicação da numeração pode ser feita entre parênteses, alinhada ao texto, ou situada pouco acima da linha do texto em expoente à linha do mesmo, após a pontuação que fecha a citação.
    Exemplos: Diz Rui Barbosa: “Tudo é viver, previvendo.” (15)
    Diz Rui Barbosa: “Tudo é viver, previvendo.”15
    —-
    Creio que não se usa referências em nota de rodapé se houver outras tipos de notas, como as explicativa (6.2.1). E só encontrei o exemplo que mostra a inserção da nota de rodapé no final da citação.
    Tentando ser útil.
    Att.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>